São Paulo,  
Busca:   

 

 

Terror//Insurgência

 

TERROR. Morto 007 resgatado por tropas italianas e britânicas. Foto ANSA.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

3 de outubro de 2007.

Foto ANSA: Lorenzo D´Auria, capo maresciallo do Sismi.



Neste site do IBGF, no post de 25 de setembro passado (confira retrospectiva no pé da matéria), tratou-se do resgate, na província afegã de Farah, de dois 007 do Sismi, que é o serviço de espionagem militar da Itália.

Uma milícia dos talebans conseguiu aprisionar os dois 007 e o guia afegão que os acompanha. Uma blitz de forças inglesas e italianas partiu para o resgate e, no confronto, os talebans foram mortos.

Um dos 007 italianos aprisionados saiu gravemente ferido. O guia afegão morreu fuzilado.

Por se tratar de agentes da espionagens, o Sismi só deu a notícia sobre o ocorrido no dia 25 de setembro (segunda feira). O aprisionamento e o resgate ocorreram no dia 22 de setembro, ou seja, no sábado.

Os nomes dos 007 não foram divulgados por trabalharem em órgão de espionagem militar. Ou seja, não se revela nome de espião.

O 007 do Sismi em estado grave fora atingido por disparos na cabeça. Ele recebeu socorros e, por avião militar de emergência, retornou à Itália e internado em UTI de hospital de ponta.

A partir da internação, do agravamento do estado de saúde do agente e da aflição da família, o seu acabou revelado. Na verdade, não havia esperança de restabelecimento.

Hoje, o jovem e corajoso 007 faleceu. Tinha 33 anos de idade e deixa, além da esposa, três filhos menores. Trata-se de Lorenzo D´Auria, “maresciallo” (equivalente a cabo no exército brasileiro) eentão chefe do serviço de inteligência na área afegã de Shindand, onde tropas italianas e britânicas integram o contingente da missão ISAF, das Nações Unidas.

O primeiro ministro italiano, Romano Prodi, comparecerá aos funerais e distribuiu nota que frisa ter o maresciallo Lorenzo D´Auria, do Sismi, “morrido por nós”.
Wálter Fanganiello Maierovitch.

.....................
Retrospectiva do site do IBGF, em 25/9/2007..
ROMA. Em 1995, os talebans (estudantes de teologia formados no Paquistão) tomaram conta do Afeganistão e impuseram regime feroz e regras de comportamento.

Lorenzo, 33 anos, 3 filhos.


Bin Laden e a sua Al Qaeda instalaram-se no Afeganistão. Montaram três campos de treinamento de terroristas fundamentalistas. De quebra, Bin Laden casou com uma das filhas do mulá Omar, chefe dos talebans.

Depois dos ataques às torres gêmeas de Nova York e ao Pentágono em Washington, ocorreu, em 2001, uma intervenção de tropas de países aliados, bem como da Nato, coordenada pelos EUA e a guerra contra os talebans continua.

Em 2004, foi eleito e empossado presidência do país Hamid Karzai, ligado aos aliados e considerado traidor pelos talebans.

Nesse quadro, os talebans começaram a realizar seqüestros de estrangeiros, especialmente agentes humanitários e jornalistas, com o objetivo de arrecadar fundos para sustentar as ações de guerrilha e efetivar a troca das vítimas por presos.

Por duas vezes, a Itália negociou com os talebans. Clementina Cantone, pertencente a uma organização internacional de auxílio humanitário, e o jornalista Daniello Mastrogiacomo, do La Repubblica, foram seqüestrados pelos talebans. Com efeito. Quando civis são seqüestrados, a ordem é fazer acordo, agir com toda a cautela, sem emprego de armas.

O contrário sucede quando um seqüestrado é militar. Aí, nada de negociações, mas operações armadas, com ações rápidas e violentas.

No sábado, dois agentes do Sismi ( serviço secreto militar italiano) foram surpreendidos e seqüestrados por um bando composto por nove talebans. O seqüestro ocorreu perto de Herat, região sob intervenção de tropas italianas e inglesas. É também a região de cultivo de ópio pelos clãs familiares.

Sábado mesmo, os dois 007 do Sismi foram resgatados, -- um deles gravemente ferido, por ação de forças especiais anglo-italianas ( Sas, Sbs, Col Moschin e Consumin, as duas primeiras britânicas e as outras italianas).

Negociar, nesses casos, significaria reconhecer a vitória do inimigo. Por isso, ocorreu a reação relâmpago e armada. Os nove talebans foram mortos. Eles integravam uma patrulha do mulá Akthar Muhammad, chefe taleban em Herat.

Os dois afegãos que serviam de guia aos 007 do Sismi e igualmente seqüestrados acabaram morrendo, atingidos por disparos de ambos os lados. Fala-se na morte de mais de 50 pessoas, incluídos soldados do exército do Afeganistão. Até o momento, no entanto, foram confirmadas as mortes dos nove talebans e dos dois afegãos guias.

PANO RÁPIDO. O seqüestro de civis tem tratamento diverso. Militares são aprisionados em combate e resgatados. Wálter Fanganiello Maierovitch, de Roma.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet