São Paulo,  
Busca:   

 

 

Terror//Insurgência

 

TERROR. Telemática. Kit em supermercado. La Crema della Crema.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

24 de julho de 2007.

Crema della Crema (chantili do chantili. Nata da nata).


Não sei se ocorre o mesmo com algum leitor deste modesto blog. Mas, tem dia que acordo com a sensação de ter sido nocauteado.

Algumas informações que recebo, por vezes, causam-me a sensação de “beijar a lona”. Depois de um cruzado desferido por lutador da categoria peso-pesado. Apesar do “cruzado” de informes e informações (os arapongas e 007 distinguem os termos), volto rápido à luta.

Ao contrário da mídia européia, a imprensa brasileira não está a acompanhar os desdobramentos do ocorrido na madrugada de domingo. Isto quando as duas agências antiterror italiana, -- Digos e Ucigos --, desmantelaram uma mesquita-de-fachada. Uma verdadeira “Escola Terrorista”.

Como existe a liberdade de crença e de associação, é fácil, no chamado Primeiro Mundo, destina prédio para finalidade culto, independente do nome dado: mesquita, igreja, sinagoga etc.

No Brasil, consoante estabelecido na Constituição, existem iguais e necessárias liberdades. A diferença está na fiscalização.

Países europeus, -- caso da Grã Bretanha, Espanha, Portugal Espanha--, tornaram-se alvo de ações terroristas. E nos EUA, pós 11 de setembro e a invasão do Iraque, espera-se sempre por uma mega-tragédia.

O denominado “integrisme”, levou alguns islamistas para o fundamentalismo e uma minoria ao fanatismo-terrorista.

Parêntese A referência é ao chamado “ integrisme” no mundo islâmico. Ele vem com a revolução teocrática xiita do Irã. Criou-se um estado teocrático a fugir da secularização. Daí o nome: integra o social ao religioso e, também, o político ao religioso.

Portanto, nada que ver com o “integrisme” do papa Pio X, empregado em encíclica publicada em 1907. Ela condenava os escritos que refutavam os dogmas diante de descobertas científicas. Assim, católicos integrais eram os que defendiam os dogmas. Aliás, parce que Pio X e Bento XVI são iguais, ou igualmente integristas.

Arremedo de integrismo é o praticado pela Al Qaeda, que espalha uma jihad do terror pelo planeta. De modo a ver na religião sunita, por meio de interpretação fundamentalista particular, não só doutrina, mas uma causa de luta e disseminação do terror.

Fechado parêntese

A partir de hoje, já se pode afirmar, -- sem risco de erro--, que a Al Qarda fornece “ensino à distância”

Provas irrefutáveis revelam que o cyber-terrorismo não é mais uma ficção. Ele é real e, no momento, 007 dos serviços ocidentais de inteligência buscam a localização do provedor denominado Global Islamic Media Front. É nele que a Al Qaeda mantém o seu site para fins “didáticos”.

A Alemanha está sendo revirada, pois suspeita-se que lá está o tal Global Islamic Media Front. E não se deve esquecer que de Hamburgo (Alemanha) partiu o grupo liderado por Mohammed Atta, que derrubou as torres gêmeas e destruiu parte do Pentágono.

Numa “mesquita de fachada” funcionava uma Escola Terrorista(vide posts abaixo). Nessa falsa-mesquita, o imã marroquino chamado Mostapha el Korchi, de 41 anos, adestrava terroristas com apoio em ensinamentos provenientes de site a serviço da Al Qaeda.

Até era ministrado curso para fanático interessado em se transformar em “homem-bomba”.

Numa única semana e extraído de site, Mostapha imprimiu 20 mil páginas contendo lições de como planejar e executar ataques terroristas.

Como se percebe, o presidente George W. Bush e a direção da CIA tinham razão, -- no relatório enviado ao Congresso no começo de julho deste ano de 2007, que a Al Qaeda conseguiu se reorganizar e está mais forte do que em 11de setembro de 2001.

A mesquita utilizada como “escola terrorista” estava localizada na periferia da cidade italiana de Perúgia, no bairro de Ponte Felcino.

As duas agências antiterror da Itália,-- Digos e Ucigos--, colocaram aparelhos de micro-espia na mesquita. Realizaram escutas ambientais e interceptações de comunicações por internet.

A prisão de Mostapha e dos seus três “bedéis”,--todos marroquinos---, ocorreu às duas horas da madrugada de domingo.

Houve a apreensão de grande quantidade e variedade de produtos químicos.

Provavelmente, esses insumos químicos seriam usados em “aulas” práticas. Ou seja, no envenenamento de reservatórios de distribuição de água potável.

A Al Qaeda deu aos seus aliados e simpatizantes liberdade para atacar. Para aquele que não sabe como praticar uma ação terrorista, a Al Qaeda,-- como está comprovado--, oferece “ensinamento” à distância.

Pelos “ensinamentos”, a dinamite pode ser substituía por botijões de gás e recipientes com gasolina. O “timer” do celular pode funcionar como detonador, etc.

Com aulas de terror à distância e kit preparável em supermercado, mentes fanatizadas pela “jihad eletrônica do terror” (cyber-terror) encontraram a “Crema della Crema”: o chantili do chantili ( a nata da nata).

Nessa “Crema della Crema” de supermercado só falta o rótulo: faça você mesmo a sua bomba.

Wálter Fanganiello Maierovitch, 14 horas. .


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet