São Paulo,  
Busca:   

 

 

Terror//Insurgência

 

TERROR: Cai rede de financiamento do braço da Al Qaeda na Argélia.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch




Acaba de ser desmontada uma rede de envio de recursos financeiros para sustento, na Argélia, da organização terrorista conhecida por Grupo Salafita para a Prédica e o Combate (GSPC).

O GSPC é o braço da Al Qaeda na Argélia. O próprio Zawahiri (segundo na hierarquia da Al Qaeda) declarou seu apoio ao GSPC.

Essa organização foi formada por extremistas fundamentalistas saídos da Frente Islâmica de Salvação (FIS) e a Armada Islâmica de Salvação (AIS).

A FIS nasceu como organização política depois da independência da Argélia da França: a França, a título de colonização, dominou a Argélia em 1850 e a independência só ocorreu em 1962. O principal grupo argeliano nacionalista e que lutou pela independência foi a Frente de Libertação Nacional (FLN) A FIS, sempre depois da independência da França, disputava poder com a FLN. Conseguiu chegar ao poder por meio de livres eleições gerais em 1990. Apesar de ganhar as eleições, a FIS nunca conseguiu ocupar o poder do estado, pois barrada por grupos militares. Em 1992, diante da pressão da FIS, ocorreu o golpe militar. Então, a FIS entrou na clandestinidade. Por acordo, seus principais líderes, presos em 1992, ganharam a liberdade em 2003.

Como decorrência do golpe militar de 1992, a Argélia mergulhou numa guerra civil que durou sete anos. Durante sete anos, a Argélia viveu uma guerra civil muito semelhante a que se desenvolve atualmente no Iraque.

A guerra interna na Argélia causou 150 mil mortes e a grande maioria das vítimas eram civis inocentes. Os combates mais intensos ocorreram no Norte da Argélia. Famílias inteiras foram massacradas e os seqüestros de pessoas para fim de extorsão financeira eram freqüentes.

No curso da guerra civil a FIS aliou-se à Armada Islâmica de Salvação (AIS). Um grupo de extremistas da FIS e da AIS acabou fundando uma organização terrorista, ou seja, o GSPC (Grupo Salafita para a Prédica e o Combate). O GSPC é apoiado pela Al Qaeda de Osama bin Laden
.

O FIS foi fundado ancião imã Abbassi Madani e pelo jovem fundamentalista Ali Belhadj.

A rede de financiamento desmontada ontem (4 de outubro de 2006) pela Guarda de Finanças da Itália, enviava euros para a Argélia. Os esuros eram remetidos via Milão e Nápoles. Pelos levantamentos, foram enviados mais de 1,5 milhões de euros, em três anos.

O dinheiro foi usado para financiar ataques terroristas. Em dois desses ataques foram mortas 37 pessoas ( 18 no primeiro ataque e 19 no segundo).

Até agora foram presos, na Suíça e na Itália, três importantes membros da organização : dois argelianos e um tunisiano. Para os EUA, o GSPC é o braço da Al Qaeda na Argélia, conforme reconhecimento feito por Zawahiri, braço direito de Bin Laden. O GSPC é dirigido pelo argelino Djamel Lounici, foragido e condenado na Europa a 8 anos de reclusão por tráfico de armas e elaboração de documentos falsos.

Interceptações telefônicas mostraram que nas ligações da Argélia para a Suíça e Itália a palavra “matrimônio” significava “ataque terrorista”.

Numa das interceptações foi dito: “Ontem realizamos um casamento na cidade de Biskra. Você ouviu falar disso aí na Europa?”

IBGF, 5 outubro 2006.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet