São Paulo,  
Busca:   

 

 

Imagens e Áudios

 

Elefantes drogados e vodca cannabis

Por IBGF/Jornal do Terra

O governo de ultradireita da Tailândia prometeu apagar a fama de país produtor de drogas. Só no ano passado, foram condenados à morte e executados 3 mil traficantes de heroína e metanfetaminas.

As drogas sintéticas são produzidas no vizinho Mianma (ex-Birmânia). Os efeitos das metanfetaminas, --como o próprio étimo diz (meta = além) -- vão além dos produzidos pelas anfetaminas, tipo ecstasy.

Essas metanfetaminas são ministradas às manadas de elefantes utilizadas em trabalhos agrícolas e florestais. São mais de 3 mil elefantes domesticados, a substituir tratores e guindastes. Por exemplo, os elefantes são colocados para derrubar árvores e arrastar madeiras, como o ébano e o cedro.

As metanfetaminas fazem com que os elefantes trabalhem mais, sintam menos cansaço e menos fome.O problema foi que os elefantes tornaram-se dependentes químicos, viciados em drogas sintéticas.

Por isso, tornaram-se agressivos, como os humanos dependentes de metanfetaminas. E os elefantes drogados brigam mais do que as torcidas organizadas brasileiras, em estádios de futebol.

Muitos dos elefantes abandonam os seus grupos. Raivosos e em desabaladas corridas levam tudo que encontram pela frente. Assim, destroem casas de madeira e, quando invadem as estradas de rodagem, viram automóveis e utilitários. Têm, ainda, as trombadas.

Como na Tailândia não existem clínicas para tratar elefantes dependentes químicos, os veterinários mandam abater os animais. Em síntese, o homem vicia e depois mata. De novo o velho ensinamento de Hobbes: Homem, lobo do próprio homem.

Já na Rússia, a vodca é famosa e as exportações ajudam a melhorar a debilitada economia do país. Nesta semana, a Rotor House distribuiu a ¿Cannabis Vodca¿. A confusão, dá para o internauta imaginar. Rendeu até apreensão do produto importado, na República Tcheca e por ordem judicial. O rótulo da garrafa exibe uma folha de maconha (cânhamo da Índia). De brinde, segue um cálice decorado com a mesma folha, em vermelho.

Na Rússia, a venda é legal. É como café descafeinado, ou seja, a mistura é com maconha, mas sem THC. O ¿bicho¿ tá pegando, mesmo, em face do rótulo e do brinde. Para algumas autoridades, trata-se de apologia à maconha. Para a Justiça russa, tudo bem: não é droga. É vodca sem o THC (princípio ativo) da maconha.

Quanto ao gosto..., é muito pessoal. Tem gente que gosta de batida de pitanga, de caipirinha, etc. Como já tem cherry (cereja) de vodka, dizem os apreciadores dessa bebida, por que não de erva "descanabinada"

 


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet