São Paulo,  
Busca:   

 

 

Imagens e Áudios

 

Law Chong e a tríade sino-brasileira

Por IBGF/Jornal do Terra

Os chefes da Máfia e da Cosa Nostra recebem o título de "capo". Quando eles se tornam potentes corruptores e influentes na política partidária viram "capo dei capi": chefe dos chefes. Nas Tríades Chineses, ou seja, nas máfias chinesas, o chefe é chamado de Shan Chu. Ao se tornar o maioral, ganha o título de Lung Tao, que quer dizer Cabeça do Dragão.

A primeira Tríade Chinesa foi fundada há mais de dois séculos. Nasceu como uma sociedade secreta, para combater a dinastia Ching, que reinou de 1644 a 1911. O nome tríade foi tirado dos ensinamentos filosóficos de Confúcio. Do triângulo formado pelo céu, pela terra e pelo homem. A Tríade desvirtuou-se depois de a China ter perdido a Guerra do Ópio para a Inglaterra (1842). Hong Kong virou possessão inglesa. E a Tríade se transferiu para lá e passou a traficar ópio. Formaram-se miríades de tríades. Também uma planetária "network criminal", que usa membros das comunidades de imigrantes chineses. Hoje, as Tríades cuidam da pirataria de marcas, Cd e Dvd, do contrabando, da prostituição, da falsificação de cartões de crédito, do tráfico de drogas (ópio), de armas e de pessoas. Um importante nó-de-rede das Tríades fica no Paraguai. E aos diversos nós-de-rede plugam-se "empresários" da globalização criminal.

No Brasil, Law Chong plugou-se à rede paraguaia, fornecedora de produtos estrangeiros. Ao seu modo, criou uma nova Tríade, ou seja, a Tríade sino-brasileira. Aproveitou o fato da banalização do contrabando, do descaminho e da pirataria. A respeito, basta lembrar da Galeria Pajé (S.Paulo) e a Feira do Paraguai (Brasília). No Brasil, a tríade sustenta-se pelas mercadorias estrangeiras, pela corrupção de autoridades e por "advogados" criminosos. Convém lembrar que a prisão de Law, num caso de legítimo flagrante esperado, foi feita por agentes da polícia federal de Brasília. Segundo revelado, os policiais de Brasília não confiavam nos seus colegas de São Paulo.

Enquanto não incomodar as Tríades, qualquer pessoa pode contrabandear. Ou melhor, trazer para o Brasil mercadoria proibida, sem ajuda de terceiros. Essa mesma pessoa pode, ainda, introduzir produto estrangeiro sem pagar tributos (crime de descaminho). Também pode o vendedor isolado entrar na pirataria, no caso de reproduzir ou copiar produções intelectuais, sem autorização (crime contra a propriedade imaterial, intelectual, artística, científica). Essas vendas realizadas por camelôs, por galerias e por feiras, representam a parte visível da rede de globalização dos ilícitos. No caso de Law Chong, ele é, no Brasil, o Lung Tao (cabeça do dragão) da sua potente Tríade sino-brasileira. A ligação das Tríades se dá em Hong Kong e Taiwan. No exterior, são fortes na Alemanha, Holanda, Inglaterra, EUA-Nova York, Austrália e Paraguai.


© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet