São Paulo,  
Busca:   

 

 

Imagens e Áudios

 

Máfia distribui

Por IBGF/Jornal do Terra

O mais potente analgésico produzido legalmente pela indústria farmacêutica tem o princípio ativo chamado Oxy-Contin (patente da Perdue Pharma). Esse inibidor de dor conta com efeito de até 12 horas. Nesta semana, foi apreendida uma farta quantidade de "genéricos" do Oxy-Contin, nos EUA. Evidentemente, sem identificação do laboratório fabricante.

Descobriu-se que esse "fármaco-genérico" foi colocado no mercado informal pelas máfias que controlam o tráfico planetário de drogas sintéticas proibidas. As máfias recomendam a raspagem do comprimido "genérico de Oxy-Contin" para uso nasal.

O efeito é o mesmo da heroína, que causa terrível e quase imediata dependência química ao usuário desavisado. O "genérico mafioso" do Oxy-Contin sai 30% mais barato do que o legalmente comercializado nas drogarias. E o sintético do "genérico mafioso" custa metade do preço da heroína.

Sabe-se que o preço cai porque a heroína consumida nos EUA vem da Colômbia. E a heroína ofertada na Europa provém da Ásia. O "genérico mafioso" é feito, clandestinamente, nos EUA e na Europa. Portanto, o custo com o transporte é reduzido e o preço cai.

Convém lembrar que depois da queda do Muro de Berlim, as máfias contrataram os químicos desempregados do Leste Europeu. E eles até já elaboraram a coca e a maconha trangênicas.

Na ilha de Samoa - localizada no Pacífico Sul -, as máfias já realizaram experiências com o plantio de coca e isto com pleno sucesso. O plantio em Samoa teve por objetivo mostrar aos EUA que a coca não dá apenas na região dos Andes. Em outras palavras, a criminalidade mafiosa conta, também, com técnicas agrícolas para produzir várias outras Colômbias.


© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet