São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

DROGA: Ecstasy causa danos irreversíveis à memória.

Por IBGF/WFM

OLHO

A revista Neurology publicou um estudo da professora Konstantine Zakzanis, da Universidade de Toronto, que conclui que o ecstasy pode comprometer irreversivelmente a memória e a capacidade de apreendizado. O fato de se parar com o uso não implica na recuperação se já se verificou a lesão.

Ecstasy líquido.


MATÉRIA

A pesquisadora Konstantine Zakzanis trabalhou na observação de 15 pessoas jovens. Dividiu os estudos em dois períodos. No último período anual esses jovens tinham consumido ecstasy de 5 a 225 vezes.

Zarkzanis, referentemente ao primeiro período de estudos, concluira que "quanto maior o número de ecstasy consumido, maior é o dano na capacidade mneumônica.

Além disso, o consumo do ecstasy aumenta o risco de se chear um estado depressivo.

Ecstasy.


No segundo período, o mesmo grupo foi submetido a novos exames e testes cognitivos. A situação era a seguinte, quando da aplicação dos novos testes:metade continuava dependente do ecstasy e a outra metade havia parado de consumir a droga.

Verificou-se, então, o seguinte quadro, feitas as comparações nos dois períodos: 1) os que continuaram a consumir a droga tinham piorado ainda mais as funções cognitivas. 2) "entre aqueles que tinham para de consumir ecstasy, infelizmente, apenas alguns recuperaram, em parte, a capacidade mneumônica, capacidade esta perdida por causa do consumo de ecstasy". 3) "aqueles que tinham tomado altas doses, embora tenham parado de se drogar, não conseguiram recuperar a capacidade afetada (danificada) pelo consumo do ecstasy". A professora Zakzanis, em conclusão, ressaltou que o uso do ecstasy faz muito mal, pois os danos produzidos no cérebro por esse tipo de droga (ecstasy) podem ser irreversíveis, ainda que cesse o consumo.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet