São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

DROGA:Khun Sa, o rei do ópio no Triângulo do Ouro.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

OLHO.

O Triângulo do Ouro, formado pelo Laos, Mainma e Tailândia, foi por mias de 160 anos o maior produtor mundial de ópio. Várias tentativas de implantação de cultivos substitutivos e erradicações foram tentadas pelas Nações Unidas. Agora, o primeiro ministro do Laos anuncia o fim do ópio. A preocupação é que o rei do ópio, Khun Sa, é protegido pela narcoditadura militar de Mianma.

Khun Sa, o rei do ópio no Triângulo do Ouro.


MATÉRIA.

O primeiro ministro do Laos, Bounnhang Uorachit, acaba de anunciar (15/2/2006) o fim do ópio no seu país. Houve erradicação e, segundo o premier, as áreas de cultivo tradicional produzem aspargos e couve, produtos com exportações garantidas.

Os cultivos substitututivos foram reiniciados depois do fracasso experimentado no final dos anos 80, num programa das Nações Unidas. Em 1998, quando de uma Assembléia especial da ONU para a questão das drogas dizia-se, oficialmente, não mais existir o Triângulo do Ouro, ou seja, não mais haver cultivo de ópio.

O passar do tempo mostrou que a informação da ONU não era verdadeira, embora a Tailândia tivesse conseguido bons resultados.

Hoje, a Tailândia, com pena de morte para traficantes, algumas execuções capitais e um regime ditatorial, conseguiu a erradicação do ópio. Virou, no entanto, capital mundial da pedofilia.

No Laos, --que é um país sob ditadura comunista--, o trabalho de substituição do ópio por aspargos e couve durou 6 anos e, até aqui, foi um sucesso.

O problema que permanece no Laos diz respeito aos dependentes do ópio. Em 1998, consoante dados oficiais, eram 63 mil dependentes, num país com população de 5.713.000 habitantes (último censo de 2002) e que cresce cerca de 2,5% por ano. Entre os homens, a média de vida é de 52 anos e 56 anos para as mulheres.

Kun Sa, rei do ópio, tem proteção da ditadura militar de Mianma (ex-Birmânia).


Para os especialistas internacionais, o grande problema está no Myanma, que dá proteção e mantém numa falsa prisão domicialiar Kuhn Sa, conhecido por "Rei do Ópio" do triângulo do Ouro. O Myanma poderá aproveitar a situação no Laos e Tailândia para aumentar o cultivo e a oferta do ópio-bruto, usada para a elaboração da heroína.

O certo é que Myanma entrou de cabeça na produção de drogas sintéticas. É a maior produtora asiática de drogas sintéticas e a segunda produtora mundial de ópio (44 mil hectares de papoula, cujo suco tirado da cápsula da flor chama-se ópio). Quanto ao ópio, perde apenas para o Afeganistão.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet