São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

DROGA e TERROR: presidente afegão sustenta que o ópoio financia o terror.

Por IBGF/WFM

O presidente afegão Hamid Karzai alertou os governadores das provincias e os chefes de polícia que os cultivos de papoula (dela se extrai o ópio) precisam acabar no país. Em tom dramático, frisou: - "Caso não eliminarmos a droga, ela é que irá nos eliminar".

O presidente Karzai iniciou a guerra ao ópio no Afeganistão.


Karzai advertiu, ainda, que não existe dúvida de o terrorismo, no seu país, encontrar no tráfico do ópio o sustento econômico necessário para financiar os ataques suicidas e as ações sangrentas. No ano de 2005, chegou a 1500 o número das vítimas em atentados terroristas no Afeganistão.

Em uma passagem do seu discurso, Karzai sustentou que "a maior parte dos bilhões de dolares obtidos com o tráfico de drogas acabam nas mãos das máfias e dos bancos estrangeiros".

O próprio Karzai admitiu que o Afeganistão, de longa data, é o maior produtor de ópio do mundo e se estima ser o responsável por 87% da oferta planetária colocada no mercado.

Para Karzai a guerra ao ópio é fundamental. Com o fim da ocupação norte-americana em 2001, o cultivo e a venda do ópio bruto (do qual se refina a heroína) chegou ao maior patamar de todos os tempos. Segundo Karzaista, graças à contribuição internacional em dólares, a produção de ópio já caiu a 103 mil hectares, ou seja, ocorreu redução de 21% da área de cultivo em comparação com o ano anterior.

Para o czar antidrogas da ONU, Antonio Maria Costa, o clima ajudou os cultivadores e a produção total de ópio em 2005 chegou a 4.100 toneladas, cerca de 2,4% a menos do que o produzido em 2004.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet