São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

DROGAS: Novo escândalo, após prisão nos EUA do czar antidrogas da Guatemala

Por IBGF/WFM

Depois das prisões nos EUA do czar antidrogas da Guatemala e do seu vice (novembro de 2005), um outro escândalo ocorre no país. Um país por onde passa ,segundo a DEA, 75% da cocaína colombiana destinada aos EUA.

.


Desta vez, autoridades guatemaltecas prenderam 4 policiais. Eles são acusados de participação no desaparecimento de 500 kg de cocaína guardada no depósito da Polícia Nacional Civil (PNC).

O desaparecimento dos 500 kg ocorreu na noite de passagem do ano (31 de dezembro de 2005).

As autoridades deconfiam, ainda, da participação de outros 15 agentes de polícia e de membros do Serviço de Análises e Informações Antinarcóticos (Saia). O Saia havia recebido informação sobre a apreesnão da droga, ocorrida no Porto de Santo Tomás em 15 de novembro de 2005 e do encaminhamento da droga para ser armazenada pela Polícia Nacional Civil.

................................

RETROSPECTIVA (novembro de 2005): Czar antidrogas da Guatemala é preso nos EUA por narcotráfico internacional.

A Drug Enforcement Administration (DEA) é a agência norte-americana antidrogas que, a título de cooperação internacional, coloca os seus representantes em quase todos os países do planeta. No mês de setembro de 2005, os seus agentes foram expulsos da venezuela, acusados de espionagem política.

.


Segundo os agentes da DEA, pela Guatemala passa 75% da cocaína colombiana que chega aos EUA. A Guatemala teria se transformado na principal rota de passagem da América Central e a cocaína chega aos potentes cartéis mexicanos passando pela Guatemala.

Ainda conforme estimativa, operaram na Guatemala cerca de 400 traficantes de cocaína. A última apreensão foi de 400 kg de cocaína e sob comando do czar antidrogas Adán Castillo.

Para suspresa geral, foi divulgada ontem (17 de novembro de 2005) a prisão do czar Adán Castillo, nos EUA, quando traficava cocaína.

A prisão de Adán Castillo, ainda segundo a DEA, decorreu de 4 meses de investigações e se apurou sua ligação com cartéis mexicanos. Junto com Adán Castillo foi preso o seu substituto, "vice-czar", na repressão às drogas, Jose Aguilar Garcia.

Ainda não foram revelados detalhes sobre a prisão do czar e eventual apreensão de cocaína em seu poder. Sabe-se, apenas, que a DEA trabalhou diretamente com a presidência da Guatemala, pois o czar era subordinado do governo da Guatemala. ................


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet