São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

DROGA DE RECREAÇÃO.

Por IBGF/WFM

A terminologia está mudando na Europa.

.


Antes eram as drogas de diversão ou as drogas de final de semana. Agora, na conversa entre os jovens entre 14 anos e 19 anos, se está usando a expressão "droga recreativa", ou seja, para diversão na discotecas e no weekend..

Na Itália, constatou-se que baixou a idade referente ao primeiro uso das chamadas drogas leves: 14 anos.

As primeira medidas preventivas já foram traçadas e entram em execução a partir de 21 de setembro, que marca o fim do verão e o início do outono.

Verificou-se, ainda, que a maconha proveniente do Norte da África (Marrocos é o maior fornecedor mundial) está chegando na Europa com o THC (princípio ativo) aumentado: pode chegar a 15%, quando em 2004 (verão europeu) atingia a 10%. Vale lembrar que nos anos 70 variava entre 2% e 3%.

Sabe-se que 32% dos jovens italianos, entre 14 anos e 24 anos, fizeram uso de maconha uma ou mais vezes e 4,8% usaram cocaína, também uma ou diversas vezes.

Com relação à prevenção ao uso de drogas (incluído as bebidas alcoólicas) na Itália, as autoridades governamentais de saúde pública ressalataram que os programas vão mirar em crianças a partir dos 6 anos de idade.

Haverá um programa especial para as famílias: envolve 5 mil famílias e crianças entre 6 anos e 10 anos de idade. As famílias, nos centros esportivos, passarão a participar diretamente das atividades de transmissão de informações por meio dos jogos. Isso junto com os instrutores de educação física e animadores dos jogos disputados.

O modelo supracitado, a ser utilizado na Itália pelos pais, é aplicado na Holanda e ga Grã Bretanha. O objetivo é passar uma maneira de facilitar a comunicação dos país com os filhos. Os pais, envolvidos nas atividades esportivas com os filhos, vão sendo treinados em abordagens e linguagens apropriadas.

Um dos responsáveis pelos programas alerta: "estamos formando, também, crianças que poderão falar nas escolas com os seus colegas de modo a fazê-los entender que não é mais interessante o jovem que se droga, mas aquele que sabe fazer o contrário, pois conhece os riscos.

A tarefa não será fácil, avisa, pois apenas 10% dos jovens sabem que as drogas leves também causam riscos.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet