São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

MACONHA: guerra às balas, doces e pirulitos

Por IBGF/WFM

Stoner Pops são vendidos pela internet e em supremercados. São doces com gosto de maconha. Contém óleo de erva canábica (maconha) para dar sabor.

Na Pennsylvania, o deputado democrata Thomas Corrigan quer proibir a venda desses doces e argumenta que eles não podem cair no gosto das crianças, pois elas serão despertadas para a maconha, ou seja, usar maconha para fumar e ter o sabor original. Os fabricantes dizem que os doces, balas e pirulitos, não são para crianças, mas para adultos. O deputado Corrigan apresentou um projeto de lei proibindo a comercialização. Fora da Pennsylvania o assunto e a briga não são novos. Existe uma guerra contra as balas e pirulitos com sabor de maconha, vendidos nos supremercados. O rapper Snopp Drog faz a campanha dos produtos.

"Dar uma chupada é um sucesso". Apesar da propaganda ter pegado (every lick is like tanking a hit), a proibição já atingiu cidades e estados norte-americanos. O rapper Snopp Dogg faz o comercial da bala de maconha.

......................

.....................
Snopp Dogg: o rapper da bala de maconha


Diz o fabricante que as balas e os pirulitos não viciam e têm muita aceitação entre os jovens, pois o sabor agrada. As balas e pirulitos não contém o princípio ativa da cannabis (tetra-hidro-canabinol). Só que, conforme frisou o procurador de justiça do estado de Connecticut, vale o "glamour", que contagia as crianças.

Nas balas e pirulitos é usada uma essência, com o gosto da cannabis.

A proibição começou em Chicago e, desde 18 julho de 2005, começou a valer na cidade e no estado de Nova Iorque.

Em Nova Iorque, a distribuição é realizada pela Jersey Icup e as balas e pirulitos são encontrados em mais de 1200 estabelecimentos.

Os estados de Michigan, New Jersey Georgia estão considerando a possibilidade de proibir, como em Nova Iorque e na cidade de Chicago.

O presidente da distribuidora Jersey Icup afirmou que a proibição beira o ridículo. Disse que o produto não disperta a curiosidade das crianças e adolescentes para fumar maconha. Destacou, ainda, que 70% dos consumidores da bala são adultos.

.............................

RETROSPECTIVA: julho de 2005

O rapper Snopp Dogg faz o comercial de venda da bala de maconha, fabricada pela Munchles, conhecida na elaboração de pirolitos e outras guloseimas.

Balas de maconha proibidas em Chicago


O rapper faz a propaganda das balas e pirulitos proibidos. A decisão de proibição é do Conselho Comunitário de Chicago. Para o Conselho, a bala pode despertar a curiosidade infantil e levar para o consumo de cigarro de marijuana (maconha)

Para o Conselho, trata-se de uma decisão preventiva. A bala não tem "THC", que é o princípio ativo da maconha. Guarda apenas o sabor da erva canábica e é muito vendida entre os jovens.

Em Chicago, a opinião publica ficou dividida. Existem colônias, perfumes, sachês e insnsos com cheiro da erva. Há, ainda, cigarros e charutos feitos com chocalate e ninguém cogitou de tirar de circulação, avisa uma conselheira do Conselho Comunal, que votou contra a proibição. Segundo ela, vai começar, entre as crianças, uma guerra para arrumar a bala proibida.

Um dos conselheiros, que votou a favor, alertou que o único objetivo da proibição é evitar novas gerações de tóxico-dependentes.

A proibição, segundo os advogados da fabricante Munchiles, poderá ser questionada na Justiça. Enquanto isso, o polêmico rapper Snopp Dogg (já acusado de estupro), contratado pela Munchiles, terá o comercial suspenso.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet