São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

COLÔMBIA: também campeã latinoamericana de consumo. Para ONU, consumo baixo no Brasil.

Por IBGF/WFM

Como faz todos os anos, a Unodc, escritório vienense da ONU para o fenomeno das drogas ilícitas e prevenção ao crime, divulga os dados recebidos dos Estados-membros.

cocaína: consumo cresce na Colômbia


O escritório da ONU avalia com base em dados recebidos, sem contestá-lo, ou seja, acredita nos enviados. No Brasil, o consumo foi considerado baixo. Já na Colômbia, recente pesquisa realizada pelo Programa de Prevenção para a Redução do Uso e do Abuso de Drogas e Violência surpreendeu: o país acabou sendo considerado de maior consumo na América do Sul. E trata-se de consumo difundido entre jovens.

Para se ter idéia, nas escolas, entre jovens estudantes, o consumo de maconha atingiu 6%, ao passo que o de tabaco alcançou 17,2%.

Entre os estudantes, ainda, 3% fazem uso de cocaína. Consomem ecstasy 1,7% e bazuco (mistura de coca, marijuana e tabaco) 0,8%.

O consumo de heroína é de 0,6% e o de tranquilizantes 1,7%.

droga injetável.


Para o representante do escritório da Onodc das Nações Unidas (ONU), a situação é preocupante na Colômbia, no que toca aos jovens. Ele fala em uso de drogas injetáveis, com riscos de contágio (HIV-AIDS) e em substâncias alucinógenas, ambas como fatores de aumento da violência. A cidade de maior consumo é Medellín. Para o representante da ONU, Sandro Calvani, "em toda a América Latina as cidades de grande consumo são aquelas que estão experimentando mudanças sociais".


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet