São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

O Senhor da Heroína: afegão preso nos EUA.

Por IBGF/WFM

Foi preso em New York, ao descer de um avião de passageiros, o afegão BASHIR NOORZAI. Os agentes da DEA estavam há anos no seu encalço

Apresentado ontem (3 maio 2005) à Corte de Justiça, não descartou recorrer do "plea-bargaing", o direito premial norte-americano, que resulta num acordo da acusação com a defesa. Lógico, em troca de algo.

Cápsula da papoula, pronta para ser cortada a fim de extração do ópio (suco).


Quando da queda do regime fundamentalista dos Talebãs, o presidente Bush anunciou que o maior traficante de heroína do Afeganistão era NOORZAI. Segundo Bush, ele repassava recursos financeiros, provenientes do tráfico internacional de heroína, para o governo dos Talebãs.

Segundo a agência antidrogas norte-americana (DEA), NOORZAI comandava o tráfico desde 1990. Refinava a heroína em laboratórios no Afeganistão e no Paquistão. E controlava vários campos de plantio de papoula no Afeganistão, isso com a conivência de alguns chefes de etnias, chamados de "Senhores da Guerra" .

Numa alusão aos conhecidos "Senhores da Guerra", NOORZAI passou a ser apelidado de "Senhor da Heroína".E como "Senhor da Heroína" ele ajuda a sustentar financeiramente o regime deposto, conforme afirmou Bush.

O porta-voz da resistência dos Talebãs, Abu Hayee Motmaeen, negou as ligações de NOORZAI com o regime deposto. Destacou que o governo deposto havia erradicado muitos campos de heroína e invocou o testemunho das Nações Unidas.

Para os fundamentalistas, a droga (incluído o álcool) é proibida, pois o estado de consciência, dom dado por Deus, não pode ser alterado.

Hoje, no Afeganistão, o comércio ilegal do ópio-bruto movimenta o décuplo do obtido com os auxílios internacionais para reconstrução do país.

O uso terapêutico do ópio é comum. Ele é empregado como inibidor de dor. Nos casamentos, muitas vezes, o agricultor entrega a filha e o dote é uma porção de ópio.

Nos EUA, NOORZAI será julgado por tráfico internacional de heroína. Em discurso ao tempo que NOORZAI estava foragido, Bush afirmou ter ele tentado introduzir nos EUA uma partida de 5 toneladas de heroína.

Convém observar que a heroína consumida nos EUA é procedente da Colômbia e do México. O Afeganistão e o Paquistão nunca se notabilizaram como foram grandes fornecedores de heroína para os EUA.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet