São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

TRAPALHADA: dados de Uribe não batem com os de Bush sobre coca.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

Os dados sobre os resultados das fumigações (derrame aéreo de herbicidas em áreas de plantio de coca na Colômbia) não batem. Ou seja, os dados apresentados e publicados por Uribe e Bush não coincidem.

Uribe: os dados americanos estão incompletos.


Apesar da divergência significativa, Bush e Uribe sustentam que continuarão os depejos glifosato (herbicida fabricado pela multinacional Montsanto) pelos aviões da empresa de segurança privada Dyn Corp, conforme previsto no Plan Colombia.

O governo Bush, pela agência antidrogas (ONDCP-Office of National Drug Control Policy) presidida pelo czar John Walthers, garantiu que a área cultivada de coca, pós fumigações em 2004, é de 114 mil hectares.

Para Uribe, a redução foi maior e a Colômbia possui entre 70 e 76 mil hectares de coca.

No final de 2004, numa reunião em Cartagena, Bush e Uribe sustentaram que a área de plantio tinha caído para 65 mil hectares.

Como se percebe, existem três informações divergentes e a envolver os executores do mesmo plano, ou seja, do Plan Colombia.

Uribe procurou uma disculpa. Para ele, os dados da ONDCP estão incompletos. Os 114 mil hectares, segundo Uribe, dizem respeito à área de plantio existente no primeiro semestre de 2004. E o segundo semestre fechou com área a variar entre 70 e 76 mil hectares.



Em quatro anos de Plan Colombia, os norte-americanos gastaram US$3 bilhões. Produziram danos ecológicos irreversíveis com o derramamento de herbicidas. Até agora, não sabem o quanto resta de plantio de coca.

Evidentemente, sabem que os cultivos migraram e o Peru aumentou as áreas de plantio. Ainda sabem que a oferta de cocaína não caiu no mercado internacional e, pior, o preço baixou.

Há 20 anos que o cultivo de coca na região andina mantém os 200 mil hectares. Isto é, não adianta fumigar que a área de plantio continua inalterada.

A oferta aumenta, o preço cai e as plantas são mais resistentes (coca tigomaria em substituição à coca-cana), sem contar a coca transgênica.

Para a agência norte-americana (ONDCP) a área de cultivo na Colômbia é de 114 mil hectares. Se verificar o relatório de 2003, o czar Walthers vai perceber que a área não sofreu alteração, isto é, em 2003 também existiam 114 mil hectares de coca.

A compicar, existe o dado informado pela ONU, que não bate com os demais. Para as Nações Unidas, a área de plantio, em 2003, era de 86.340 hectares. Em 2004, Uribe afirma ter fumigado 130 mil hectares.

e ficado entre 70 e 76 mil hectares de coca. O czar Walthers insiste nos 114 mil hectares, igual a 2003 e inferior a 1999, quando a Colômbia possuía 122 mil hectares de coca.

Johns Walthers- czar antidrogas e chefe da ONDCP (Office of National Drug Control Policy)


Enquanto ocorrem os desencontros, os danos ambientais prosseguem. E até oficial norte-americano troca de lado. Vira traficante e manda cocaína para os EUA em aviões de Bush.


© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet