São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

ISRAEL: EX-MINISTRO DE ENERGIA CONDENADO POR TRÁFICO INTERNACIONAL. Gonen Segev foi preso em flagrante. Exibia passaporte diplomático. No aeroporto, tentou despachar 32 mil drágeas de escatasy compradas na Holanda e para vendas em Israel.

Por IBGF/WFM

Conforme noticiamos (veja no site na seção Máfias/Dinheiro Sujo) em maio de 2004, foi preso na Holanda o ex-ministro israelense GONEN ZEEV ROSENTEIN. Ele procurava embarcar para Israel 32 mil cápsulas de ecstasy (os testes deram positivos para 22 mil de ecstasy e o restante de outros tipos de metanfetaminas).

Condenação: pena só não foi mais alta pela confissão do réu.


A Justiça de Israel, depois de 7 dias de sessões, acaba de condenar GONEN ZEEV ROSENTEIN à pena de 5 anos de reclusão, em regime fechado, por tráfico internacional.

O juiz do processo mostrou-se indignado com o acordo feito entre o Ministério Público e o réu ZEEV. Como nos EUA, o processo criminal israelense admite a "barganha" (plea bargaining). Mediante confissão (plea of guilty), o réu tem a pena abatida, conforme estabelecido em acordo entre a acusação e a defesa. E o juiz é obrigado a homologar o acordo e fixar a pena nele estabelecida.

ZEEV tinha sido ministro de energia no governo de Yitzhak Rabin (1990), em face de uma aliança de apoio do então partido Tsomet. O referido partido indicou ZEEV para Rabin.

O condenado ZEEV é médico pediatra.

Na Holanda, apresentou um passaporte diplomático. Os serviçoes secretos de Israel já suspeitavam de ZEEV. Avisaram o governo da Holanda e, numa operação conjunta de polícias, ZEEV foi preso em flagrante, com 32 mil drágeas de ecstasy.

O médico Gonen: da pediatria ao narcotráfico.


Desde que desembarcou na Holanda, ZEEV foi seguido e teve seus encontros filmados, com traficantes vendedores de ecstasy.

. RETROSPECTIVA- matéria do site: "Neste final de ano de 2004, duas prisões de "famosos" mostraram a gravidade do problema das drogas em Israel. O primeiro a ser preso foi um ex-ministro. O segundo, com prisão e pedido de extradição feito ontem (28 de dezembro de 2004), foi o ZEEV ROSENTEIN, dono de cassino.

1.) maio de 2004.

Em maio passado (2004) foi preso na Holanda, por tráfico de ecstasy, o ex-ministro GONEN SEGEV. Ele tentava embarcar para Israel uma grande quantidade de anfetaminas (ecstasy).

Segundo a polícia holandesa, que atuou em conjunto com a de Israel, o ex-ministro de energia de Israel ,GONEN SEGEV, mantinha uma rede que já havia despachado para Israel 32 mil´drágeas de ecstasy

Nos anos 90, GONEN SEGEV tinha sido ministro pelo já extinto partido Tzomet

. 2.)dezembro de 2004.

A polícia de Israel prendeu ZEEV ROSENTEIN, numa operação em conjunto com os EUA
ZEEV é acusado de operar uma rede de distribuição de ecstasy e outras drogas anfetaminas (droga sintética) para os EUA e Europa

A rede comandada por ZEEV também realiza a lavagem do dinheiro sujo doas drogas. A lavagem ocorre em um cassino, de propriedade de ZEEV.

O pedido de extradição de ZEEV foi feito pelos EUA e chegou ontem à Justiça de Israel.

Segundo observadores, a extradição já havia sido acertada informalmente, quando a DEA (agência norte-americana antidrogas) começou a trocar informações com o serviço secreto de Israel, a respeito de ZEEV

3) HA´ARETS NEW'S.

-texto transcrito da HA´ARETS NEWS.

FORMER energy minister Gonen Segev was remanded in custody at the Tel Aviv Magistrate's Court on Thursday for seven days on suspicion he attempted to smuggle 25,000 Ecstasy pills into the country from the Netherlands. Segev, a pediatrician by profession, served as a minister for the right-wing Tsomet party in Yitzhak Rabin's government in the mid-1990s. A sweeping gag order placed on the case two weeks ago was partially lifted on Thursday morning.

The former minister is also suspected of using a forged diplomatic passport. Israel Radio reported that Segev's diplomatic passport had expired, but the date had allegedly been altered. Two other men, identified as Ariel Friedman and Moshe Verner, have also been arrested as suspects in the case and were also remanded in custody on Thursday.

Judge David Rosen wrote in Thursday's ruling:

"This does not seem to be an isolated incident. Investigators believe that the suspects are part of, though not necessary the central figures in, a drug-smuggling ring. . . The suspect Segev apparently tried to smuggle the drugs caught by using a forged diplomatic passport. I have looked into the allegations and found that there are grounds to them. It is almost possible to say that these are not [merely] allegations, but apparently real evidence."

Segev, who was placed under arrest on Wednesday night, denies all allegations against him. The Tel Aviv Central Police District received information some two weeks ago of a shipment of Ecstasy pills meant to arrive in Israel from the Netherlands. Police also learned that Segev was allegedly meant to pick up the drugs in the Netherlands and bring them to Israel.

Segev, however, claims that he was in the Netherlands for business, where he met a friend, an Israeli lawyer, who gave him a package his cousin had asked him to bring into Israel. Segev says he was told the five-kilogram package contained M&M chocolates. The former minister claims further that he stored the package in a locker at Schiphol Airport before he boarded the Tel Aviv- bound flight because he feared the package did not really contain chocolates.

He reported the matter to Dutch police and to Israeli police when he landed at Ben-Gurion International Airport. Police called him in for questioning on Wednesday night, when he was arrested. Israeli media and Segev's attorney Lior Epstein have tried for the last week to have the gag order lifted. Epstein claims that his client is innocent and has no link to the crime and thus wants to see the truth come to light.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet