São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

DROGAS: II Giro e Resumo SEMANAL (14 a 20março2005):a)uso terapêutico da maconha, 16% dos pesquisados informam que houve sugestão médica b) Uribe e a legalização da cocaína. c)corrupção na Colômbia; d)Iraque. e)Cuba

Por IBGF/WFM

Na semana de 14 a 19 de março de 2005, quatro fatos chamaram a atenção.

01)Revleações terapêuticas.

O primeiro diz respeito a uma publicação do International Journal Clinical Pratice, acerca de pesquisa realizada com usuários terapêuticos de maconha.

Segundo a pesquisa 16% dos entrevistados que usam maconha para fins medicianais realizam isto por sugestão médica.

maconha terapêutica.O cigarro é contra-indicado.


Dos 947 entrevistados e examinados por médicos que participaram da pesquisa, 35% fumam maconha de 6 a 7 dias por semana.

Dentre os consultados, 68% garantiram que esperimentam melhoras e alívio quando utilizam a maconha na terapia.
Com relação aos males e porcentuais, chegou-se ao seguinte quadro de usuários da cannabis:

a)25% são portadores de doenças crônicas.

b)22% tinham esclerose múltipla e sofriam de depressão.

c)21% portavam artrite reumática. d)19% contavam com doenças do sistema nervoso. f)13% diferentes outros males.

2)Uribe ou Miguel??

Quanto ao segundo fato que marcou a semana, diz respeito à viagem ao México feita pelo presidente colombiano ÁLVARO URIBE.

Numa entrevista coletiva à imprensa, URIBE disse ser contra a legalização da cocaína no seu país. Afirmou que a legalização não colocaria fim à violência.

Fumigações em áreas cocaleiras.


Lembrou, ainda, que no seu país existe o terrorismo por causa da droga, que sua fonte de sustentação econômica e financeira.

A grande surpresa ficou com a declaração de URIBE de ser contra a legalização da cocaína por razões ecológicas, ambientais. Para URIBE, a folha da coca--matéria prima do cloridrato de cocaína-- causa a derrubada das florestas, pois o arbusto tomam o lugar das árvores.

Nessa sua defesa ambiental, URIBE lembrou que na Colômbia a coca já tomou conta de 1.700 hectares da floresta amazônica colombiana.

Pelo que sabe, os plantios, diante das fumigações (derramamento de herbicidas por aviões do DynCorp- contratada pelo Plan Colombia), migrou para pequenas clareiras abertas na florestas. Nesses locais, não há despejo dos herbicidas. Ou seja, Uribe esqueceu-se disso, deu uma de Miguel.

Os herbicidas produzem danos ecológicos irreversíveis, mas, a respeito, URIBE parece ter esquecido. O herbicita usado é o glifosato, produzida pela multinacional Monsanto.

3)EUA. O procurador de Tampa, Joseph Ruddy, no processo que acusa o colombiano Joaquin Valencia Trujillo (extraditado neste mês de março para os EUA), fez uma afirmação pesada contra o ex-presidente Ernesto Samper.

Afirmou que Samper e o parlamento colombiano foram comprados pelo Cartel de Cáli por US$5,0 milhões. Isso para no projeto de alteração do art.35 da Constituição Colombiana, votado no ano de 1997, não dar efeito retroativo às extradições. Com isso, ficaram fora vários potentes narcotraficantes.

O ex-presidente Zamper negou as acusações, ao ser ouvido pelos periódicos colombianos. Avisou que o projeto que mandou ao Parlamento não contemplava restrições à retroatividade. E frisou que a retroatividade foi estabelecida por emenda parlamentar.

3)Iraque e Havana.






Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet