São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

NOVAS INFORMAÇÕES- CABRAS VIRAM MULAS NO IRAQUE: tráfico de drogas, armas e mulheres substitui o tráfico de petróleo que era conduzido por Saddan Hussein

Por IBGF/WFM

No Iraque, cabra é usada como "mula". Ou melhor, os traficantes de ópio usam cabras para transportar drogas.

Barriga de aluguel: transporte de ópio e heroína
Um disfarce para não chamar a atenção dos soldados norte-americanos e dos seus aliados de invasão. As cabras engolem reforçados sacos plásticos contendo ópio-bruto procedente do Afeganistão e esperado para ser refinado na Turquia, pela máfia turca.

O rebanho é conduzido por um insuspeito pastor, que tocava sino para despistar.

A descoberta dessa farsa decorreu de uma delação. Lógico, informação vendida aos agentes de inteligência dos EUA. O serviço secreto norte-americano já havia revelado preocupação com o aumento do tráfico de drogas, armas, explosivos e munições.

Os arapongas de Bush desconfiavam que a droga passasse pelo Iraque para chegar à Europa.

Como se apurou, o corredor iraquiano da droga acabava tendo dupla valia, pois as armas e os explosivos eram recebidos como pagamento do transporte do ópio. Algumas cabras foram filmadas e, estimuladas pelos agentes da CIA, acabaram vomitando sacos de ópio.

Nesta semana, o episódio das "cabras por mulas" serviu para reforçar a tese do czar antidrogas da ONU, o polêmico Antônio Maria Costa, que é italiano.

Num seminário em Bruxelas (Bélgica), Costa sustentou que Saddan Hussein, quando ditador e para evitar perdas com iminente embargo pela ONU, montou uma rede para traficar petróleo.

Czar da ONU: parceiro de Bush na Guerra às Drogas.
Segundo Costa, milhares de iraquianos trabalhavam no tráfico de petróleo comandado por Saddan. Com a queda do regime, esses iraquianos ficaram desempregados e passaram a traficar drogas e fornecer armas e explosivos para os insurgentes.

Na visão de Costa, --que é aliado de Bush, quer penas mais pesadas a usuários e revela-se entusiasta da política militarizada da Guerra às Drogas--, o tráfico de drogas substituiu o de petróleo. E se converteu em fator de instabilidade regional.

Em Bruxelas, só faltou Costa revelar a fonte onde colheu as informações repassadas. Ele falou, também, que o tráfico de mulheres é intenso no Iraque.





LEIA O NOTICIÁRIO ANTERIOR NESTE SITE, de 18 de março. O polêmico Antonio Maria Costa, czar antidrogas das Nações Unidas e chefe do escritório de prevenção ao crime da ONU, participou de um seminário na capital da Bélgica e fez revelações bombásticas

Contou Costa que Saddan Hussein, quando ditador do Iraque e para evitar que embargos ao petróleo comprometessem a economia, teceu uma potente rede para traficar petróleo.

Milhares de iraquianos que trabalhavam no tráfico de petróleo ficaram sem trabalho com a queda do regime e a normalização da exploração petrolífera, sob comando das empresas contempladas por Bush.

Sem fonte de sustento, esses milhares de iraquianos passaram, então, a traficar armas, drogas e mulheres, a contribuir para o aumento, segundo Costa, da instabilidade na região.

Cabra vira Mula para traficantes no Iraque. O tráfico de petróleo operado por Saddan Hussein é substituído por narcotráfico de ópio-heroína, armas de fogo e mulheres.


O seminário que participou Costa tratou de terrorismo e da busca de uma definição específica para esse fenômeno. Costa é um aliado da política norte-americana da War on Drugs e é favorável a criminalização dos usuários, sem tolerâncias, e aplicações de penas severas. E um incentivador dos testes antidrogas nas crianças das escolas.

Por outro lado, na terça feira 15 (15 de março de 2005), a arapongagem de Bush descobriu, no Iraque, o uso de cabras, como "mulas", no tráfico de drogas. Os traficantes fazem as cabras engolir ópio e heroína embalados. Elas são soltas, depois, para seguir o pastor do rebanho. Esse, à distãncia e guaindo as cabras, conduz para os pontos determinados de distribuição.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet