São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

PRONTO PARA MATAR, o juiz Suprapto da Indonésia e o brasileiro Rodrigo Goulart

Por IBGF/Jornal do Terra





Para padrões civilizados, é difícil imaginar um juiz que consiga condenar alguém à pena de morte. Arrepia, só de pensar.

Na Indonésia, o juiz Suprapto parece não ter restrições de consciência e aplica pena de morte com freqüência a traficantes de drogas.
Indonésia,pena de morte.


Para Suprapto não importando a nacionalidade do suposto traficante processado. E nem a cultura jurídica que prevalece no país onde nasceu o réu por de tráfico de drogas ilícitas.

Além do brasileiro Rodrigo Goulard, de 32 anos, o juiz Suprato já condenou à morte 9 outros imputados de narcotráfico.

Na Indonésia, estão no corredor-da-morte 28 condenados por narcotráfico.

O juiz Suprapto, só neste mês de fevereiro, condenou à morte dois acusados de tráfico: o brasileiro Rodrigo e um cidadão indiano, Gurdip Singh, também de 32 anos.

Segundo o processo em curso, o brasileiro Rodrigo entrou em Jacarta, capital da Indonésia, com uma prancha de surf onde estavam escondidos 6 kg de cocaína.

Quanto ao indiano Gurdip, trazia consigo, 300 gramas de heroína.

Na Tailândia, no ano passado, foram executados 2 cidadãos tailandeses e 1 indiano, ambnos por tráfico de drogas. Ou seja, o instituto humanitária da clemência passa longe da Indonésia.

A Indonésia foi colônia holandesa e se tornou república independente em agosto de 1945. O sistema judiciário segue o modelo holandês, mas a influência muçulmana,--87,2% da população--, levou à adoção de pena de morte em casos envolvendo drogas ilícitas.

Espera-se que a diplomacia brasileira consiga celebrar um acordo com a Indonésia. Isso a permitir a expulsão para o Brasil de Rodrigo Gulard.

Aqui, a pena imposta na Indonésia seria adequada. Ou seja, seria substituída pela pena máxima de 30 anos de reclusão, com direito a livramento condicional, cumprido 1/3 da pena (10 anos).

No Brasil, felizmente, a pena tem uma finalidade ética. E o objetivo ético da pena está estribada na possibilidade de ressocialização do condenado.

No caso de Rodrigo, a sentença de Suprapto está sendo atacada pelo recurso de apelo. Enquanto isso, seria conveniente o governo brasileiro acertar um Acordo Bilateral a prever a expulsão dos condenasdos por narcotráfico. Lógico, apressar antes que seja tarde demais.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet