São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

DROGAS. Sai a lista Bush. Com a Venezuela houve retaliação. Bolívia ficou fora.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

18 de setembro de 2007.

Chavez e Morales: juntos na industrialização da folha de coca.


O presidente Bush, pelo seu czar antidrogas John Walthers, enviou hoje ao Congresso dos EUA, --como tem obrigação anual e legal de fazê-lo--, a lista de países que não demonstraram determinação e resultados no combate às drogas ilegais. A sanção, pelo Congresso, é a determinação de suspensão de envio de recursos financeiros a tais países.

No ano passado, a Bolívia do presidente Evo Morales entrou na lista de Bush. Isto por causa da sua nova política para o Chapare (região ilegal de produção de folha de Coca), que resultou no aumento da área de cultivo.

Além disso, perante as Nações Unidas, o presidente Evo Morales, - que acumula o cargo de presidente dos plantadores de coca do Chapare-, bateu-se retirada da folha de coca do elenco da Convenção da ONU que estabeleceu quais as drogas proibidas internacionalmente.

Enquanto a Bolívia saia da relação dos sancionados pela lista de Bush neste 2007, a Venezuela, que não cultiva coca e nem refina cocacaína, entrou nela. A acusação é de que o governo da Venezuela não impede a circulação dessa droga,

Na verdade, houve retaliação, pois Chavez, -- com toda a razão--, expulsou da Venezuela os agentes da agência antinarcóticos americana, que atende pela sigla DEA. Isto porque os agentes da DEA espionavam a política na Venezuela e não ajudavam na repressão às drogas ilícitas.

Mais uma vez, Myanmar (ex-Birmânia), que é uma ditadura militar, manteve-se na lista de Bush. O país além de heroína é a maior produtor de metanfetaminas da Ásia. Na relação enviada ao Congresso, consta relação de países problemáticas, onde ocorrem transito e consumo de drogas. No elenco está o Brasil. Vem nosso país acompanhado de 20 outros, como, por exemplo, Colômbia, Afeganistão, México, Nigéria, Equador, Jamaica, Paraguai, Peru, Laos, Panamá, etc. Wálter Fanganiello Maierovitch.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet