São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

DROGA. Presidente do Peru autoriza ataque aéreo para destruir laboratórios e pistas clandestinas.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

área de plantio de coca tingomaria.




Por decreto, o presidente peruano Alan Garcia autorizou o emprego de aviões de combate militar para atacar e destruir, na selva amazônica, laboratórios clandestinos de refino e produção de cloridrato de cocaína. Do decreto consta, também, autorização para bombardeamento de pistas clandestinas, utilizada por narcotraficantes para a decolagem, em locais remotos, de pequenas aeronaves.

O decreto surge depois de migração de áreas de cultivo de coca da Colômbia para o Peru. No Peru, o arbusto de coca é mais resistente e foi plantado na Colômbia: coca Tingomaria.

Para Allan Garcia, o ministério do Interior poderá empregar até as mais potentes aeronaves, ou seja, os A37, da frota do país. No Peru, com as fumigações realizadas na Colômbia durante o falido Plan Colombia, houve aumento das áreas de cultivo, hoje estimadas ema 50 mil hectares.

laboratório de cocaína.


Antes de a Colômbia liderar o rol de país de produção de coca, o Peru é que encabeçava. Na ditadura Fujimori-Montesinos, o Peru foi transformado num narco-estado.

Com a chamada "Era Escobar", a coca passou a ser cultivada na Colômbia.

Coube a Escobar, pelo cartel de Medelín, e aos irmãos Orejuela, pelo cartel de Cáli, a iniciativa de plantar coca na Colômbia.

No momento, os narcotraficantes atacam as forças peruanas encarregadas da erradicação manual da folha de coca. Diante disso e após uma suspensão por duas semanas das erradicações manuais, o presidente garcia resolver mudar a tática e investir na destruição de laboratórios e pistas.

WFM, 3 abril 2006.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet