São Paulo,  
Busca:   

 

 

Drogas Ilícitas

 

PENAS INFAMANTES impostas a prostitutas e clientes. Ao lado, a demônio prostituta da mitologia hindu.

Por Wálter F Maierovitch/Rádio CBN/Justiça e Cidadania

Mitologia hindu: a prostituta era um demônio gigante.




A China que vem sendo incensada por muitos economistas e o seu notável desenvolvimento econômico mascara, internacionalmente, violações elementares de direitos humanos.

No domingo passado, completou 58 anos a Declaração Universal dos Direitos da Pessoa Humana, elaborada pelas Nações Unidas.

E no sábado, na véspera do aniversário, a China emporcalhou essa básica Declaração de direitos humanos, que ela própria subscreveu em 1948.

Num espetáculo medieval, a China aplicou 15 dias de prisão,-- e mais penas infamantes--, a 42 prostitutas e 58 clientes. Tudo sem processo e sem direito de defesa.

Acabaram humilhados até os 16 clientes que aguardavam na “sala de espera”, ou melhor, que apenas viviam uma expectativa lascívia.

As 42 prostitutas e os 58 clientes tiveram que vestir capas amarelas e colocar máscaras cirúrgicas, a cobrir a boca e o nariz.

As prostitutas e os clientes foram expostos na principal praça de Shenzhen, uma cidade de 7 milhões de habitantes, vizinha a Hong Kong.

Com a praça lotada de curiosos e o trânsito parado, um policial, com megafone, declinou os nomes dos condenados e dos seus pais. E alguns dos clientes das prostitutas receberam um plus, pois revelados os nomes das suas esposas e dos seus filhos.

Na China, é importante recordar, as chamadas Tríades Chinesas (máfias) se especializaram no tráfico de seres humanos para desfrutamento sexual.

E até o ministro da espionagem chinesa, o general Shen Jing, envolveu-se com a Tríade de Hong Kong. O general Jing, já afastado do cargo, recebia US$45 mil por cada prostituta que deixava sair do país.

Quando elaborada a Declaração Universal dos Direitos da Pessoa Humana, o humanista canadense John Humphrey redigiu o seu artigo 5º. E o artigo 5º. estabelece que “ninguém será submetido a penas aviltantes”. Na China, esqueceram disso.

Pano Rápido: a quarta geração de comunistas que está no Poder, sob a presidência de Hu Jintao (60 anos de idade), só quee saber de aplicar o princípio da “economia socialista de mercado”, que está escrito na Constituição da República Popular Chinesa – Zhonghua Renmin Gongheguo.

WFM/CBN, 12 dezembro de 2006. Para ouvir o comentário, acesse o ítem Justiça e Cidadania, do site da rádio CBN: http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet