São Paulo,  
Busca:   

 

 

Máfias/Dinheiro Sujo

 

MÁFIA:parada jovem contra a ndrandheta. Flores amarelas como símbolo de protesto à violência mafiosa

Por IBGF/WFM

OLHO

A máfia da Calábria (Ndrangheta) matou Francesco Fortugno, vice-presidente (vice-governador) da Calábria. Produziu um "cadáver excelente" para difundir o medo e impôr o silêncio à população. Os jovens saíram para protestar (3/11/2005), forma a revelar que não observam a omertà (lei do silêncio) e lutam pelos seus direitos de cidadania. Foram usadas flores amarelas, eleita como símbolo contra a violência da máfia.

.


MATÉRIA.

Milhares de jovens italianos (cerca de 15 mil) se reuniram em parada (marcha) na cidade de Locri (3/11/2005), em Réggio Calábria, para mostrar que não se intimidam com a violência mafiosa que, em 16 de outubro de 2005, assassinou o vice presidente (vice-governador, no Brasil) da Calábria: dois motociclistas encapuzados aproximaram-se do carro e dispararam contra o vice-presidente. Os manifestantes carregavam flores amarelas (gerbérias), eleitas como símbolo contra a violência da máfia. Numa das faixas carregadas estava escrita: "A máfia é lenta, nós somos rock".

A maior delegação de jovens veio das cidades Campanas de Napoli e Caserta: foram 20 ônibus lotados). Milhares de mensagens de solidariedade chegaram ao site dos organizadores e do jornal La Repubblica, que cobriu amplamente o evento e deu destaque na sua primeira página: o La Repubblica é o segundo jornal em circulação na Itália.

Nas faixas exibidas podia ser percebida toda a indignação e raiva dos manifestantes, que percebem que a máfia tolhe a cidadania. Alguns dizeres merecem reprodução: A máfia mata, o silêncio também.
Não estamos sozinhos, basta de máfia
A máfia é uma montanha de merda
De drangheta se morre, lutemos para viver
A verdadeira omertà (lei do silêncio) está nos palácios do poder
.


A manifestação começo na Praça Lungomare. Percorreu toda a cidade e a concentração foi na praça central.

Na praça da cidade de Locri foram feitos discursos e no palanque reservado às autoridades (estavam presentes mais de 50 prefeitos) estava a viúvua de Francesco Fortugno e os seus dois filhos, Giuseppe e Anna. Os dois filhos do assassinado vice-presidente participaram da passeata com flores amarelas, que parecia uma corrente de um grande rio.

A viúva Maria Grazia Laganà Fortugno desabafou: "Meu marido deu a sua vida nessa luta antimáfia. Devemos ser fortes. Eu permaneci forte porque o meu marito queria isso, na sua luta pela cidadania e contra a máfia".


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet