São Paulo,  
Busca:   

 

 

Máfias/Dinheiro Sujo

 

PEDOFILIA: desbaratada rede internacional.

Por IBGF/WFM

PEDOFILIA VIRTUAL

Lobo-mau X Chapeuzinho-vermelho, ela uma criança na mira.


O mercado mafioso da pedofilia movimenta anualmente US$5 bilhões. Isso fora a produção, a circulação e a venda de filmes, revistas e fotografias envolvendo crianças, todas vítimas de abusos sexuais.

Há cinco anos, as internacionais criminosas passaram a investir pesadamente no chamado “nicho da pedofilia virtual”. E as máfias enfrentam, --com muitos truques, conivências e corrupções--, as equipadas “cyberpolícias” do Primeiro Mundo.

Assim, estabelece-se entre o crime organizado e as “cyberpolícias” uma verdadeira guerra de caça de pedófilos on-line para se chegar aos servidores e identificar os exploradores do “nicho da pedofilia virtual”.

Na Itália acaba de ser desbaratada (maio de 2005) uma rede de pedofilia virtual e 186 pessoas acabaram presas. Dentre elas, 1 prefeito municipal e 3 padres.

Os pedófilos tinham acesso a um site que disponibilizava filmes a mostrar relações sexuais entre adultos e crianças asiáticas, de 4 anos a 8 anos de idade.

O acesso à “home page” era dificultado por três senhas. E a obtenção das senhas era precidida de cadastro que não podia ser feito pela internet, mas pessoalmente. Para se ter idéia dos múltiplons “nichos criminais da pedofilia”, o mercado de vídeos para pedófilos fatura, por ano, US$ 280 milhões.

No planeta, cerca de 2 milhões de menores são mantidas pelas máfias para exploração e desfrutamento, de modo real ou virtual.

Nessa guerra contra a pedofilia virtual, as “Ongs” têm tido papel fundamental. A que mais se destaca em eficiência e ajuda policial chamava-se “Telefono Arcobaleno” (Arco-iris), Fica na Itália e é dirigida pelo padre Fortunato Di Noto (www.arcobaleno.com). Por mês, faz mais de mil denúncias.

No nordeste brasileiro, várias “ongs” em parceria com prefeituras de municípios litorâneos têm atuado na prevenção, mas sempre com pouca verba. Nas praias, o “lobos-mau” continua na caça da “chapeuzinho vermelho”, ou seja, de uma criança.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet