São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Máfia. Senhor do Vento (energia eólica) era laranja de chefão da Cosa Costra

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 03 de abril de 2013.


Matteo Messina Denaro aos 20 anos de idade. Única fotografia que dispõe a polícia antimáfia



Rei da eólica é laranja do chefão da Máfia. Desde 1992, escrevo que a medida mais eficaz para se reprimir uma organização criminosa potente é o desfalque ao seu patrimônio.


Trata-se de uma lição apreendida junto ao magistrado italiano Giovanni Falcone que, no dia 23 de maio de 1992, foi dinamitado pela Cosa Nostra siciliana.


Neste ano de 2013, passou a ser o discurso do governador Geraldo Alkmin que, pela incompetência em matéria de segurança pública, não seria aprovado em concurso de guarda-noturno em Pindamonhangaba, sua cidade natal.


Hoje, a coordenada e policial Direção Investigativa Antimáfia (DIA) anunciou a apreensão de 1,3 bilhão de euros.


Essa montanha de dinheiro estava depositada em 43 contas-correntes, todas em nome das empresas de Vito Nicastri, apelidado, pelo Financia Times, de “o Senhor do Vento. Isso em matéria jornalística sobre energia eólica.


Vito Nicastri explora a energia eólica e é o principal empresário italiano dessa atividade. Ele investe em todo a região meridional italiana (sul da Itália, conhecido por região do “Mezzo-Giorno”) e, de Roma (centro) para baixo, domina o esse setor que fornece energia limpa. No curso de uma investigação que durou mais de ano, a DIA descobriu nos negócios de Nicastri um sócio capitalista oculto. Esse sócio é o capo-mafia Matteo Messina Denaro, foragido da Justiça há mais de 20 anos e sem nunca tirar os pés da região siciliana de Trapani.


Com as prisões de Totó Riina, Salvatore Lo Piccolo e Bernardo Provenzano, o supracitado Matteo Messina Denaro tornou-se, interinamente, o “capo dei capi” (chefão) da Cosa Nostra.


Matteo Messina Denaro: imagem por programa de computador




Matteo, nascido em abril de 1962, ganhou, como presente de aniversário da antimáfia, um desfalque substancial no “bolso”: 1,3 bilhão de euros. A polícia trabalha com uma imagem de computador de Matteo, a partir de uma única foto de big-boss que possui. Ou seja, uma fotografia tirada quando Matteo tinha cerca de 20 anos de idade.


O capo-mafia Matteo é filho de um histórico membro da Cosa Nostra siciliana, Francesco Messina Denaro, já falecido. Numa interceptação ambiental, chamou a atenção da DIA um diálogo de Matteo com um amigo. O amigo lhe perguntou quantas pessoas havia matado. Em resposta, Matteo disse: o equivalente a vários cemitérios.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet