São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Acusado de dar cobertura a padre pedófilos, cardeal Mahony vai escolher o novo papa

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 19 de fevereiro de 2013.


Roger Mahony, cardeal que poderá votar e, em tese, ser votado.



O cardeal Mahony, quando titular em Los Angeles (1985 a 2011), foi acusado de tentar encobrir 129 casos de pedofilia e a envolver padres da sua diocese.


Apesar do escândalo, Mahony é cardeal emérito de Los Angeles .


Sobre essa eminência purpurada (Mahony), o seu sucessor, José Gomes, informou que não lhe deu nenhum encargo, pós aposentadoria, "por não ter sido capaz de garantir a justa proteção aos jovens confiados à sua cúria".


Aos jornais americanos, Mahony disse que votará no conclave que escolherá o novo papa e partirá para Roma no dia 24 de fevereiro.


O cardeal Roger Mahony, quando titular da arquidiocese de Los Angeles (a maior dos EUA), foi acusado de haver tentado encobrir 129 casos de pedofilia.


Ele está aposentado há 2 anos. E foi pressionado pelo seu sucessor a renunciar toda e qualquer função eclesiástica. Rapidinho, renunciou depois de admoestado pelo cardeal José Gomes, que assumiu o seu lugar.


Como Mahony tem menos de 80 anos poderá votar na escolha do novo papa.


A Igreja fez um acordo com as 129 vítimas na Justiça e pagou 660 milhões de dólares.


Agora, a organização Catholics United colhe assinaturas com o objetivo de pressionar para Mahony não votar no conclave.


Pela Constituição Apostólica (-- Dominici Gregis) , Mahony poderá votar pois não foi destituído pelo papa. A revista Famiglia Cristina faz, on line, uma consulta se Mahony deve ou não votar.


Pano rápido. Está tudo como o diabo gosta.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet