São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Egito. Mubarack participa atrás das grades da primeira audiência judicial

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 03 de agosto de 2011.


Mubarack, quando no poder.





De Nova York, exclusivo para Terra Magazine.


Uma cena que dificilmente será vista no Brasil, que disputa o título de a capital mundial da impunidade.



Hoje, no Cairo, os egípcios assistiram, pela televisão, a imagem do ex-ditador Hosny Mubarack atrás das grades.



Só para lembrar, Mubarack foi deposto em 11 de fevereiro. Permaneceu no poder durante ininterruptos 30 anos e caiu depois de um mega protesto popular pelo fim da corrupção e pela volta da democracia.



O Exército não reprimiu os protestos e retirou o apoio que dava ao ditador. A violência contra os manifestantes ficou por conta da guarda nacional. A pesada repressão resultou em 800 mortes. E estima-se que 6 mil egípcios que participam dos protestos saíram feridos.



Um forte esquema de segurança foi montado para assegurar a volta de Mubarack ao Cairo e a sua apresentação, detido, perante a Justiça.



Na Justiça, Mubarack responde, com os dois filhos, a acusações por crimes de corrupção e de haver mandado reprimir manifestantes contra o seu regime.



As telas das televisões mostraram, para todos o Egito, um Mubarack pálido.



Perante o juiz Ahmed Rifaat, que promete um julgamento justo e público, Mubarack limitou-se a negar as acusações. Foi a primeira aparição pública de Mubarack depois da sua destituição do cargo. Preso no balneário que lhe servia de residência de verão, Mubarack restou internado em razão de dois derrames cerebrais, segundo noticiado. Para muitos, o ditador de 80 anos procurou, com a internação, adiar as audiências e baixar a pressão popular pela sua condenação à pena de prisão em regime fechado.



Mubarack e os dois filhos, Alaa e Gamal, apareceram com roupas brancas.



Branco é o uniforme usado pelos presos ainda não condenados.



De uniforme azul, pois já condenado, apareceu o ex-ministro do Interior (Segurança pública interna) Habib al Adli.



Por corrupção, Habib já recebeu pena de 12 anos de prisão fechada.



Os dois filhos de Mubarack repondem a processos por corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e abuso de poder. Eles estão presos no cárcere de Tora e restaram deslocados ao Cairo apenas para a audiência.



A televisão egípcia, que transmite em tempo real a sessão do Tribunal, mostrou as celas onde os acusados acompanham a audiência.



Na audiência de hoje estavam presentes dez dos 11 réus acusados.



O ausente, que fugiu para a Espanha, é Husseis Salem.



Salem foi o chefe do serviço secreto no governo dea Mubarack .Durante a ditadura, tornou-se um dos homens mais ricos do Egito, com rede de hotéis de luxo e uma sociedade de fornecimento de gás.



Pano Rápido. No Brasil, o presidente Collor de Mello respondeu a processo criminal no Supremo Tribunal Federal em liberdade. Collor acabou absolvido. Cassado pelo Congresso, ele retornou depois do período de suspensão dos direitos políticos e se elegeu senador por Alagoas. No senado, divide com Renan Calheiros a representação do estado.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet