São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Guerra às drogas. Obama baixa provimento para controlar venda de armas de fogo. México agradece

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 13 de julho de 2011.


.



Como sabem até os gatilhos dos fuzis e das armas de fogo em geral, semi-automática ou automática, os fortemente armados cartéis mexicanos vendem cocaína nos EUA e aproveitam para lá comprar armas e munições.



Segundo os 007 da CIA, --e eles avisaram o presidente Barack Obama--, 70% das armas na posse dos cartéis mexicanos foram comprados em território norte-americano.



Grande parte das vendas são realizadas no Texas, Califórnia, Arizona e Novo México. Nesses centros e segundo a ONU, 70% das armas vendidas acabam no México.



Nesta semana, três senadores norte-americanos conferiram a procedência das armas apreendidas pelas autoridades mexicanas e que estavam na posse ou foram abandonadas por membros dos cartéis, Os referidos senadores informaram que 70% dessas armas apreendidas são “made in USA”, ou melhor, foram produzidas pela indústria americana de armamentos.



Para o governo do presidente Felipe Calderon, que declarou no primeiro dia do seu mandato (1/12/2006) “guerra às drogas” e há anos está a perder o confronto onde empenhou o Exército, 90% das armas e munições dos cartéis mexicanos foram adquiridas nos EUA.



Diante desse quadro, o governo Brack Obama, pelo Departamento de Justiça e para tentar contrastar o fluxo de armas e enfraquecer os cartéis de drogas mexicanos, baixou provimento a estabelecer a obrigatoriedade de as casas de comércio participarem a venda de fuzis semi-automáticos, com carregadores removíveis e calibre igual ou superior a 22mm.



O presidente mexicano elogiou a medida. Não se sabe por que os antecessores de Obama não tiveram igual iniciativa pois sempre se soube que os cartéis mexicanos se abasteciam no mercado norte-americano. A propósito, o ex-presidente George W.Bush financiou o mexicano Plan Mérida de combate aos cartéis e as drogas. O Plan Mérida fracassou. Os cartéis enfrentaram os agentes do tal Plan Mérida com armas e munições norte-amerianas.



O provimento do governo Obam, como dá para perceber, é incompleto por não se referir às munições. Sem munição, as armas passam a servir apenas como instrumentos contundentes.

--Wálter Fanganiello Maierovitch


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet