São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Berlusconi, pela Fininvest, condenado a pagar indenização milionário. Milan poderá sofrer prejuízos

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 11 de julho de 2011.





Os jornais italianos falam da preocupação de Adriano Galliani, administrador da associação esportiva e do time de futebol do Milan. Ou melhor, Galliani é o gestor da Associazione Calcio Milan. A preocupação decorre do fato de que o dinheiro pode faltar para renovações de contratos de jogadores, pagamentos de prêmios e contratações de reforços para a esquadra do Milan.



O calvo e obeso Galliani, sempre mostrado pelas televisões na tribuna quando dos jogos do Milan, é um obediente cumpridor das ordens dadas por Silvio Berlusconi, o mandachuva do Milan. E Galliani fala em efeitos negativos decorrentes da condenação ao pagamento de milionária indenização, estabelecida no sábado pela Corte de Apelação.



Galliani se refere à condenação, em sede de apelação, da berlusconiana Fininvest. E o Milan é um saco de fundos em termos de despesas. Até Kaká teve de ser vendido para a Espanha a fim de dar uma aliviada no caixa do clube futebolístico.



Não se deve esquecer, também, que o vencedor Milan faz parte da imagem de sucesso que Berlusconi passa aos italianos para obter votos e se manter na política. Só que Berlusconi acabou de perder as eleições administrativas em Milão, a mostrar que nem o futebol serve mais para iludir os cidadãos milaneses.



A Fininvest foi condenada, no último sábado, a pagar 560 milhões de euros para a empresa de razão social Cir, do conhecido empresário Carlo De Benedetti (dono da Benetton, entre outras).



Referida Fininvest é a empresa-mãe da holding do qual faz parte a associação de futebol de nome Milan, cuja esquadra de futebol é a atual campeã italiana.



Ao tempo da gestão de Berlusconi à frente da Fininvest (ele ainda não havia se afastado para assumir o cargo de primeiro-ministro da Itália), essa empresa corrompeu o juiz Vittorio Metta, do Tribunal de Apelação de Roma.



Dinheiro da Fininvest presidida por Berlusconi foi colocado, por intermédio do advogado Cesare Previti, então braço direito de Berlusconi e cofundador do partido político do atual premiê (Forza Itália), numa conta-corrente aberta na Suíça pelo corrupto Metta.



Criminalmente, foram definitivamente condenados o corrompido Metta e o deputado e advogado Previti, do corruptor Berlusconi. Com relação a Berlusconi, graças a uma lei “ad personam” que diminuiu prazos prescricionais, foi extinta a punibilidade.



No acórdão (sentença do Tribunal), o corrupto Vittorio Metta deu provimento à apelação da Fininvest de Berlusconi e anulou a perícia (Lodo Mondadori) que dava sustentação à sentença de primeiro grau. Assim, e numa apertada síntese, Berlusconi passou a controlar a editora Mondadori, a maior da Itália que, além de livros, edita a revista Panorama, com importância, para se ter idéia, de uma revista brasileira do porte da Veja.



A namorada do atacante Pato, filha de Berlusconi, é a gestora da Mondadori. Antes de Pato aparecer em família, sua irmã namorou um modelo brasileiro, conforme noticiou, com exclusividade e diretamente da Itália, este blog Sem Fronteira de Terra Magazine : http://maierovitch.blog.terra.com.br/2010/01/25/modelo-brasileiro-conquista-filha-de-berlusconi/



A corrupção do juiz Metta ficou comprovada a partir do relato da testemunha Stefania Aristo. Um relato minucioso foi feito junto à magistratura do Ministério Público italiano.



No sábado passado, em sede de apelação, manteve-se a condenação indenizatória da Fininvest ao grupo Cir do empresário De Benedetti. Houve apenas a redução do valor da indenização, ou seja, de 750 milhões para 560 milhões de euros.



A execução da sentença terá início nesta semana e tão logo publicada a decisão no Diário oficial.



O golpe tentado pelo premier Berlusconi, –para adiar o pagamento da pesada indenização para depois do exame do seu último recurso à Corte de Cassação (Supremo Trinual italiano)–, saiu pela culatra.



Deputados do partido de Berlusconi (Popolo Della Lobertà-PDL) colocaram, no final de junho, um artigo no projeto de lei financiaria em trâmite no Parlamento e para suspender execuções em ações indenizatórias até a manifestação da Corte de Cassação. Assim e caso a lei passasse com um artigo de ocasião, Berlusconi se livraria do pagamento imediato.



Para se ter idéia, a decisão do corrupto juiz Metta ocorreu em 24 de janeiro de 1991. A sentença de primeiro grau na ação indenizatória civil, em face da comprovada a falcatrua berlusconiana, foi proferida em 2009, com condenação pecuniária no valor de 750 milhões de euros.



Os oposicionistas e o pessoal de De Benedetti, que é o dono do respeitado jornal La Repubblica (o de maior circulação na Itália), descobriram a manobra berlusconiana de inserção de dispositivo na lei (para suspender a execução de decisão dos Tribunais de Apelações) apenas na semana passada.



Em face do escândalo provocado por um dispositivo a atender apenas o interesse de Berlusconi (lei ad personam), o dispositivo ficou conhecido na Itália pelo apelido de Salva-Fininvest de Berlusconi. Acabou retirado da lei, depois do ministro das Finanças declarar que não estava no projeto original e que o desconhecia. Em outras palavras, o projeto de lei, proposto pelo ministro das Finanças, foi mexido pelos parlamentares berlusconianos, num verdadeiro golpe.



Até o presidente da República, Giorgio Napolitano, avisou que iria representar pela sua inconstitucionalidade, caso convertido em lei pelo Parlamento. Segundo Napolitano, o dispositivo Salva-Fininvest atentava à regra constitucional de que todos são iguais perante a lei.



Com o pagamento da indenização milionária que se aproxima, o grupo berlusconiano precisará cortar despesas, a começar pelos vultosos salários e megas transações de compra de jogadores. Hoje, Berlusconi declarou que a Fininvest tem patrimônio para pagar a indenização, mas, por evidente, ficará abalada.



PANO RÁPIDO. Para Berlusconi, a decisão que fixou a indenização foi incorreta e consagrou uma fraude por parte da Cir do empresário De Benedetti.



Na verdade, o criminoso foi Berlusconi. Ele comprou o juiz Metta, que lhe deu ganho de causa. Com a Fininvest desfalcada no caixa-geral, o Milan deverá apertar os cintos e cair pelas tabelas dos campeonatos.



Wálter Fanganiello Maierovitch


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet