São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Condenados por matar antigos cônjuges se conhecem e vão se casar na prisão.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 20 de junho de 2011.

##foto##





No final de semana os jornais europeus multiplicaram um “furo” jornalístico de Agostino Gramigna. A matéria, pelo inusitado, destacava o próximo casamento, -- só no civil--, entre Francesca Brandoli e Luca Zambelli. Eles se conheceram no cárcere de Bologna e cumprem longas penas, em regime fechado. Detalhe: ambos mataram violentamente os seus consortes, ou melhor, esposos.



Francesca, por homicídio, cumpre pena de 18 anos de prisão. Ela esfacelou o crânio do marido com golpes desferidos com um martelo.



Nessa empreitada criminosa, Francesca, que era dona de casa, contou com o auxílio do amante David Ravelli.



O crime consumou-se em 30 de novembro de 2006. O esposo Christian Cavaletti, um empresário na região Emiliana , restou atacado de surpresa, ao anoitecer e no quintal da casa, depois de ter prendido o cachorro na garagem.



Por seu turno, o encanador Luca Zambelli, inconformado com o pedido de separação feito pela esposa Stefania Casolari, desferiu-lhe 21 golpes fatais com um afiado punhal. Luca pegou 30 anos de reclusão.



Stefania, de 36 anos de idade, trabalhava num bar e foi atacada no apartamento onde morava na cidade de Sassuolo (Modena), na tarde de 15 de maio de 2006.



Os editais já foram publicados na cidade de Modena, onde residia Francesca, e em Bologna, onde estão recolhidos em cárcere.



O amor entre os dois assassinos nasceu por meio de uma intensa troca de cartas.



Como nos cárceres italianos não existem visitas íntimas para presos em regime fechado, o casal, por uma hora de tempo, pode conversar reservadamente numa sala, separados por grades.



Francesca, no cárcere, trabalha na biblioteca. Trabalha com Anna Maria Franzoni, condenada por ter matado, em janeiro de 2002, o filho de 3 anos de idade, num rumoroso caso que, pela insensibilidade e despistes adrede preparados, comoveu toda a Itália.



Nos autos processuais, existem laudos técnicos que indicam Francesca como mulher “perigosa, obsessiva e manipuladora”.



Luca trabalha em serviços de manutenção do presídio. Pelos laudos do processo, é pessoa possessiva e egoísta. Quando matou Stefania, Luca tinha dois filhos, de 10 e 14 anos de idade.



Pano Rápido. Como ninguém possui bola de cristal e os nubentes ainda ficarão uns bons anos separados pelas longas penas, espera-se que conseguiam, acertadas as contas com a Justiça, refazer as marcadas vidas.

-- Walter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet