São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Eleições em Milão e Nápoles transformam-se em plebiscito sobre governo Berlusconi

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 28 de maio de 2011.



Berlusconi.



Na Itália, amanhã e segunda, serão realizadas, em algumas cidades, o segundo turno para as eleições municipais, também chamadas de administrativas.



Nas cidades onde as eleições foram resolvidas no primeiro turno (15 e 16 de maio passado), o grande perdedor foi o polêmico primeiro ministro Sílvio Berlusconi.



Agora, no segundo turno, as duas grandes disputas ocorrerão em Milão e Nápoles. Duas cidades chaves e onde o premier Silvio Berlusconi imaginava que iria, tranquilamente, faturar no primeiro turno.



Em Milão, de onde é natural e é o mandachuva da esquadra de futebol do Milan, o premier Berlusconi fez da eleição um plebiscito para aprovação do seu governo. Mergulhou de corpo e alma nas campanhas e colocou os candidados do seu partido (Pdl) em segundo plano.



A propósito, Berlusconi deu-se mal no primeiro turno.



O candidato de oposição em Milão, Giuliano Pisapia, teve 48% dos votos, enquanto Letizia Moratti, a candidata de Berlusconi que tenta a reeleição, obteve 41,6% das preferências.



Na bela cidade de Nápoles, três candidatos disputaram. O berlusconiano Gianni Lettieri conseguiu 38,5% dos votos. O segundo colocado foi o europarlamentar e juiz licenciado Luigi de Magistris, que chegou a 27,5%. Em terceiro lugar restou Mario Marcone com 19,1%.



Pelo que corre na monumental piazza del Plebiscito, --com o golfo e o Vesuvio a emoldurar o estupendo cenário, os votos dados a Mario Marcone poderão ser transferido a Luigi de Magistris. Poderão, pois o jovem Luigi de Magistris, pelo seu protagonismo quando esteve na Magistratura e pela incontrolada sede de poder que revela, não agrada a todos os napolitanos votantes em Mario Marcone.



Nas pesquisas sobre o “Ballotaggio” (segundo turno), o premier Berlusconi será derrotado em Milão. Em Nápoles, tudo pode acontecer. Ontem por exemplo, Berlusconi foi vaiado no palanque.



Berlusconi, no palco e ao lado do célebre cantor Gigi D´Alessio (napolitano que faz sucesso em Nova York), cantou a célebre “o sudato innamurato”: Berlusconi, quando jovem, cantava profissionalmente em cruzeiros marítimos pela ilhas Gregas.



Depois de cantar, Berlusconi disparou: - “De Magistris virou juiz famoso por condenar inocentes”.



Hoje, no jornal Corriere dela Sera, o humorista Beppe Grillo, famoso por ter promovido a concorrida manifestação “Vaffanculo Day”, disse, sobre política e políticos, quem “ sonno tutti uguali, magiano tutti la mesma zuppa” ( em política são todos iguais. Comem todos eles a mesma sopa”.



Pano Rápido. A derrota de Berlusconi, que depende de Umberto Bossi, líder do partido da Liga Norte ( separatista com discurso novo de ser federalista), o colocará em queda livre. E Bossi, desde o primeiro turno, tomou distância de Berlusconi, a ponto de não comparecer nesta semana aos comícios em Milão.



Hoje, segundo registra o jornal La Repubblica, Bossi disse que o premier se preocupa muito com a Justiça e os processos, ou seja, com a própria pele (responde a quatro processos criminais, três em fase final).



Na verdade, Bossi fez uma crítica a Berlusconi que, na quinta e no G8, quando em conversa com o presidente Barack Obama, declarou que os juízes italianos são comunistas e o perseguem.



Como se percebe e referentemente a Berlusconi, o gato subiu no telhado.



--Wálter Fanganiello Maierovitch.


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet