São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Direitos Humanos. Preso o general Ratko Mladic que comandava genocídios, crimes contra a humanidade e estupros coletivos na Guerra dos Balcãs de 1992 a 1995

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 26 de maio de 2011.
Ratko Mladic




Uma boa notícia.




O presidente sérvio, Boris Tadic, acaba de confirmar a prisão do ex-general Ratko Mládic.




Como Mládic apresentava-se como Milonard Komadic, o presidente Tadic aguardou os resultados de um determinado exame de DNA. Com o resultado, destruiu-se a farsa.




Mládic estava envolvido na linha de frente do projeto de formação da Grande Sérvia idealizado pelo então presidente sérvio Slobadan Milosev.




Milosev foi capturado por ordem do Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia e morreu de infarto na prisão. Antes do término do processo que respondia por genocídio e crimes contra a humanidade.




O mandado de prisão do ex-general Mládic foi expedido pelo Tribunal Penal Internacional. O ex-general é acusado de co-autoria em crimes de genocídio, estupros coletivos e crimes contra a humanidade. Todos consumados por ocasião da guerra civil dos Bálcãs, que durou de 1992 a 1995.




O fim do massacre deu-se em novembro de 1995. O acordo de paz foi celebrado em Dayton (EUA) e graças ao empenho das Nações Unidas. Lógico, depois da atuação das forças armadas da Nato-Otan e de efetivos embargos econômicos à Sérvia e Montenegro.




Mládic, nascido em 1942 na Bósnia Hezegovina, era um dos generais de campo da confiança do então presidente Slobadan Milosevic, que pretendia, na formação da Grande Sérvia, as incorporações da Bósnia, Croácia e Montenegro. E estavam incluídos os enclaves de Kosovo (fronteira com a Macedônia) e Voivodina (fronteira com a Romênia).




Para o então presidente Milosevic, as independências em 1991 da Eslovênia, Croácia, Bósnia Herzegovina e Macedônia, abriam oportunidade para realizar o seu sonho de formação da Grande Sérvia. Na verdade, as independências, pós-morte do general Tito, colocaram fim à antiga Iugoslávia, uma criação artificial, mantida graças à força militar.




A prisão de Mládic só foi possível pelo empenho do presidente Boris Tadic de colocar a quebrada Sérvia na União Europeia. Depois de anunciar a prisão, o presidente Tadic frisou que a Sérvia já está habilitada a ingressar na União Europeia, como seu 28º estado-membro.




Os nacionalistas sérvios que ainda sonham com a limpeza étnica islâmica e a Grande Sérvia protegiam Mládic.




--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet