São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Líder rebelde líbio será recebido na Casa Branca enquanto Kadafi exibe crise de paranóia

Por Terra Magazine

IBGF, 12 de maio de 2011.


Kadafi, depois de 10 dias de sumiço.



--1. Muamar Kadafi, no poder desde setembro de 1979, vive uma crise aguda de paranóia. E como acontece com todo paranóico, acaba por se transformar num perseguidor dos próximos. O raís (chefe em árabe) desconfia dos que estão próximos dele.



Quando anos atrás Kadafi fez operação plástica com um cirurgião brasileiro, as enfermeiras e os homens de segurança do coronel-tirano eram estrangeiros. Kadafi, à época, não tomou anestesia geral por temer ser atacado enquanto inconsciente. Naquela ocasião, o país não enfrentava turbulências internas.



Vale registrar que mercenários, regiamente pagos, fazem a sua segurança pessoal. Kadafi sempre teve medo de ser traído, como, no curso da historio, com vários ditadores. Os mercenários para sua segurança pessoal (até os seus pilotos e mecânicos são estrangeiros) foram contratados depois do assassinato do presidente egípcio Anuar Sadat, em 1981.



A atual crise aguda paranóica decorreu da morte do seu filho caçula Said Arab Kadafi e dos netos. O raís estava na casa do filho Said e saiu ileso quando ocorreu o bombardeamento pelas forças da Otan-Natan, em 30 de abril. Para Kadafi, houve traição porque poucos sabiam da sua estada na residência do filho.



Durante dez dias Kadafi escondeu-se e tentou encontrar o traidor que teria passado a informação do local onde se encontrava.



Kadafi não acredita no contido na nota da Otan-Nato. Ou seja, de que a Otan-Nato não realiza ações para executá-lo e que desconhecia a sua presença no local bombardeado.



Para a Otan-Nato, o lugar bombardeado era um centro de planejamento de ações contra os rebeldes.



Como o bombardeamento ocorreu na véspera da eliminação de Osama bin Laden, o raís Kadafi entrou em pânico, segundo informam fontes rebeldes.



Ontem, depois de dez dias da morte do filho caçula e de três netos, Kadafi voltou a aparecer em público. E a televisão oficial, cuja sede central restou destruída por “raids” disparados na terça feira passada, exibiu imagens de Kadafi em recepção a chefes tribais.



--2. Hoje, uma outra má notícia chegou a Kadafi.



Além de um intenso bombardeio, com mais três mísseis a atingir o complexo de Bab Al Azizya, foi confirmada, para amanha, a visita do líder rebelde líbio, Mahmud Jabril, à Casa Branca.



Jabril será recebido por Tom Donilon, secretário do presidente Barack Obama para questões de segurança nacional.



--3. Pano Rápido. A Otan-Nato, apesar de afirmar não ser Kadafi o alvo, controla o espaço aéreo da Líbia e realiza “raids” frequentes em lugares próximos onde se encontra o rais-tirano. Isso, consoante fontes de inteligência, o coloca em desespero.

--Wálter Fanganiello Maierovitch


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet