São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Terror. Guerra interna na sucessão da Al Qaeda. Sobe cotaçao de Al Libi

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 06 de maio de 2011.


Abu Yahya al-Libi





No estado do Vaticano, a fumaça branca da chaminé da capela Sistina indica ter sido escolhido o chefe da igreja católica para ocupar a cátedra de Pedro. Acredita-se recair a escolha no Espírito Santo, por meio do voto colocado nas urnas pelos cardeais integrantes do colégio eleitoral. Às vezes, o processo é longo e os não crentes ironizam com a afirmação de o Espírito Santo estar em dúvida.




Entre os alqaedistas fala-se que o Conselho superior é que tem legitimação para a escolha do chefão. Reunir o tal Conselho é difícil. Talvez, os medievais fundamentalistas tenham de apelar pela videoconferênia.




A Al Qaeda, nascida em 1988, só teve, até agora, um único chefe. E ele foi Osama bin Laden. O médico egípcio Ayman al-Zawahiri, na hierarquia alqaedista, era o vice-capo do terror.




Fumaça branca, nem pensar. Isso é coisa dos inimigos e lês são chamados de “cruzados”, numa referência às Cruzadas.




No mundo do fanatismo al qaedista fala-se que o sucessor receberá a espada. É a espada o símbolo do poder.




Com quem ficará a espada deixada pelo falecido chefe-militar alqaedista ?




Os terroristas mais procurados e com cabeças à prêmio não são, necessariamente, os candidatos naturais. Fazul Abdullah Mohamed, da Al Qaeda do corno africano (Somália, Etiópia e Sudão por tabela), não tem chance e nem é cogitado para comandar a Al Qaeda, embora seja a segunda cabeça premiada: US$5 milhões pela captura, vivo ou morto.




A sucessão, se não deliberarem por uma rainha da Inglaterra ( um filho de Bin Laden), está sendo disputada entre Al Zawahihi, de 70 anos de idade, e Abu Yahya al-Libi, de 48 anos.




O líbio Abu Yahya é dado como muito jovem. Só que tem sólida formação religiosa e é reconhecido como um grande orador islâmico. Em outras palavras, é um fanático.




Zawahihi não possui a formação religiosa necessária. Jamais será um califa, uma vez estabelecido um estado fundamentalista islâmico. E essa é a meta da Al Qaeda e ao tempo de Bin Laden , que sonhava em ser o califa.




Abu Yahya al-Libi virou herói ao resistir às torturas quando capturado no Afeganistão. Ele permaneceu três anos na prisão de Bagram (Afeganistão) e dela fugiu espetacularmente.




O último vídeo alqaedista foi difundido em março passado e apenas aparece Abu Yahya al-Libi a falar pela organização.




Abu Yahya al-Libi (o líbio), instalou e operava para os talebans um sistema de comunicação pela web. Desde 2001 era o webmaster dos talebans. E é considerado pelos fanáticos um estrela de primeira grandeza.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet