São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Festas monarquicas prosseguem. No Circo Massimo, a testemunha do milagre por interseção de Karol Wojtyla

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 30 de abril de 2011.


papa Wojtyla.



--1. As monarquias continuam em festa na Europa.


Apenas o eixo das comemorações restou deslocado. De Londres para o Vaticano, a mais velha monarquia ocidental.


A emendar com a festa de casamento do sangue-azul britânico, --e imagino como Joãozinho Trinta deve ter ficado atento diante da televisão--, teremos no entardecer de hoje, no célebre Circo Massimo romano, o depoimento de Marie Simon-Pierer Norman.


Por interseção de Karol Wojtyla ( falecido papa João Paulo II), que amanhã alcançará a glória dos altares, soror Marie Simon-Pier Norman, no amanhecer de 3 de junho de 2005, livrou-se de um Parkinson.


Em resumo, operou-se um milagre, conforme reconhecido pela Igreja no processo de beatificação do polonês Wojtila.


No último milênio, pela primeira vez, um papa proclamará beato o seu antecessor: o papa Ratzinger, amanhã, irá beatificar Wojtyla. Como todos sabem, o processo foi rápido e a atender o anseio da multidão e quando do seu falecimento: “ Santo subito”, diziam as faixas exibidas.


No Circo Massimo, palco de entretenimento com corridas de bigas na Roma imperial ( hoje temos em substituição a Fómula 1), soror Marie Simon-Pier Norman dará seu depoimento e, como ela destacou várias vezes, continuará sem resposta uma questão, ou melhor, há um mistério: - “ Por que fui escolhida ?”.


Ontem e passados seis anos, a tumba onde estão os espólios de Wojtyla foi aberta e o tríplice caixão transportado da cripta vaticana para defronte à lápide santificada e onde estão os restos de Pedro, o primeiro dos pontífices.


O traslado dos acoplados caixões foi acompanhado pelo cardeal de Cracóvia, cidade de nascimento de Wojtyla.


Hoje, desde cedo, o caixão se encontra no altar central da basílica de São Pedro, ou seja, acima do túmulo de São Pedro e debaixo do maravilhoso baldaquino elaborado pelo magistral Gian Lorenzo Bernini. Ficará exposto à visitação até segunda feira, às 5 da manhã. Depois, irá para a capela de São Sebastião, vizinho à Pietà de Michelangelo, ou seja, no lugar mais visitado da basílica.


A cerimônica de beatificação ocorrerá no domingo, defronte à basílica. Com o papa Ratzinger a usar a mitra de Wojtyla e a exibir outras relíquias, como o recipiente com o sangue do falecido.


Pelos cálculos dos serviços de segurança do estado italiano e do estado do Vaticano mais de 1,0 milhão de fiéis acompanham os festejos.


Já estão em Roma, para a cerimônia, 16 chefes-de-estado e 5 membros de famílias reais.


O convidado protocolar, com rezas e torcidas para que não comparecesse, é o sanguinário ditador africano Robert Mugabe, do Zimbábue.


Por sanções impostas pela União Européia, Mugabe está proibido de pisar no território europeu. Só que, como chefe de estado, abres-e exceção para encontros da ONU (a sede da FAO-ONU é em Roma) e para as cerimônias oficiais. Assim, Mugabe já está hospedado em Roma (hotel-albergo de Inghilterra-piazza di Spagna) e pronto para atravessar, amanhã, o rio Tevere e chegar ao estado do Vaticano.


--2. Pano Rápido. Dizendo-se portador de valores cristãos e guardião para que valores outros não sejam mudados no Parlamento italiano, comparecerá ao evento o premier Silvio Berlusconi.


Não há previsão para um domingo com novos milagres na praça de São Pedro. Por isso, Berlusconi e Mugabe não será arrebatados para queimar no fogo do inferno.


--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet