São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Ditador da Síria numa encruzilhada. Discurso com promessas previsto para as próximas horas poderá acalmar os revoltosos.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 29 de março de 2011.

Bashar Assad



De Roma, exclusivi para Terra Magazine.



A família Assad, no poder desde 1970, sempre conseguiu calar o povo sírio pela força. E a Síria ficou conhecida como o país do silêncio. .



Com a morte do general Hafez Assad, o filho oftalmologista que estudava em Londres, Bashar Assad, assumiu o poder em julho de 2000. Sob odor de fraude eleitoral, foi reconduzido para mais 7 anos de mandato presidencial em 2007. .



No poder, Bashar manteve o partido único (Baath). Aliás, quando ele nasceu em 11 de setembro de 1965 a Síria já impedia o pluralismo partidário. .



Bashar, também, manteve s restrições à liberdade de expressão. Continuou a permitir prisões por delitos de opinião. A lei marcial e a pena de morte continuram em vigor. E o estado de emergência vigora desde 1963, com toque de recolher. .



Nos últimos 30 anos, segundo organizações humanitárias, desapareceram 17 mil pessoas na Síria dos Assad. .



A força paramilitar, chamada Gendarmeria e composta por 8 mil homens especializados em caçar dissidentes políticos, sempre teve autorização para matar. .



Os paramilitares sírios são impunes. .



A revolta popular pegou Bashar de surpresa. E mandar matar os opositores na cidade de Dera’à apenas serviu para unir os sírios que não suportam mais viver sob regime ditatorial. Eles anseiam por liberdades públicas e individuais: em Dera’à, os revoltosos derrubaram a estátua de Hafaez Assad, cuja propaganda oficial chama de “pai da pátria”. .



Nas próximas horas é esperado um pronunciamento de Bashar, chamado pelos revoltosos de “reformador farsante”, em face das promessas não cumpridas de abertura política e fim da impunidade aos integrantes das forças policiais e aos 007 da espionagem. .



Pelo que já se sabe, Bashar vai entregar a cabeça do odiado primeiro ministro Naji al Otari, em função de governo desde setembro de 2003 e membro do partido único Baath. .



Para acalmar o povo, Bashar vai prometer abertura de processos por abuso de poder a membros das forças de ordem. Falará, também, em combate à corrupção e liberdade de imprensa. .



O discurso de Bashar Assad poderá acalmar os revoltosos se acompanhada de medidas concretas. Há muita expectativa e a praça Omayyadi de Damasco pode, conforme o discurso de Bashar, voltar a ser ocupada pelos sírios que clamam por liberdade e democracia. .



--2. PANO RÁPIDO. O grande erro de Bashar Assad foi mandar matar os revoltosos. Pela agência oficial e televisão estatal ocorreram 36 mortes em face dos protestos. Os ativistas em direitos humanos falam em 126 mortos e centenas de feridos por balas de borracha. .



Disfarçados com trajes civis, os membros da Gendarmeria continuam a ocupar posições estratégicas nas praças e ruas. E eles são facilmente identificados pelos sírios. Não só pelos casacos pretos, mas por circularem pelos mesmos locais ininterruptamente. .

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet