São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Tribunal Criminal Internacional para Serra Leoa. Naomi Campbell poderá se retratar.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 09 de agosto de 2010.


Naomi e Taylor, hóspeds de Nelson Mandela.



Naomi Campbell poderá se retratar junto à Corte Penal Internacional. Mia Farrow e Carole White desmentem a top model. IBGF, 09 de agosto de 2010.



--1. Os advogados de Naomi Campbell estão reunidos para avaliar um recuo.



A top-model Naomi poderá pedir para ser novamente ouvida pela Corte especial que apura os genocídios e massacres em Serra Leoa.



Isto para evitar o falso testemunho e não marcar a carreira como cúmplice do ex-ditador liberiano Taylor, responsável, como partícipe, por mais de 120 mil mortes em Serra Leoa, durante a guerra civil (1999-2002).



Na quinta-feira da semana que passou, Naomi, ouvida como testemunha pela Corte e em Haia (Holanda), confirmou que tinha recebido cerca de três pequenas pedras. Não sabia que eram diamantes e nem quem a teria presenteado.



No bando dos réus, Taylor, preso desde 2006, procurou conter o sorriso e segurou, com a mão direita, a armação dos seus óculos de lentes claras. Ou seja, Naomi, com o testemunho, plantara uma dúvida, a beneficiar Taylor.



O testemunho prestado pela top-model está sendo desmontado pela promotora Brenda Joyce Hollis, que cuida das acusações contra o sanguinário e ex-ditador liberiano Charles Taylor: na guerra civil em Serra Leoa, Taylor fornecia armamento para os guerrilheiros da RUF (Frente Revolucinária Unida) em troca de diamantes.



Só para lembrar, a RUF controlava o território de Serra Leoa onde eram extraídos as pedras brutas de diamantes.



A meta da acusadora Hollis, com o testemunho de Naomi, era demonstrar que Taylor possuía diamantes, fato sempre negado por ele.



Com efeito, Naomi fora arrolada como testemunha de acusação pelos “diamantes de sangue”. Estes recebidos, na casa do presidente Nelson Mandella onde estava hospedada e depois de um jantar, com diamantes ofertados por Taylor.



A promotoria de Justiça da Corte Internacional fora informada do caso Naomi há um ano depois da prisão de Taylor. Isto por notícia passada pela atriz Mia Farrow. Segundo Farrow, ex-companheira de Woody Allen, a modelo Naomi, depois de um jantar a flertar com Taylor, recebeu um grande diamante. A própria Naomi teria contado esse fato a Farrow e a ex-colaboradora Carole White.



Como noticiamos ontem neste blog Sem Fronteiras de Terra Magazine, os defensores de Taylor estavam prontos para, nesta segunda-feira, impugnar o testemunho de Farrow, por inimizade e falta de imparcialidade.



Para os defensores do sanguinário Taylor, Farrow tomou as dores de White que havia sido despedida por Naomi. Então, inventara a historiados diamantes.



Até quinta feira passada, antes de ouvida na Corte, a modelo Naomi sempre negou ter recebido diamantes de presente, quando esteve na África do Sul, como hóspede de Mandela. Perante a Corte, mudou parcialmente a versão, mas não incriminou Taylor: recebera pedras “pequenas”, “não sabia que eram pequenos diamantes e nem quem os mandara”.



--2. Hoje, em testemunho prestado sob compromisso de dizer a verdade com a mão na Bíblia, a atriz norte-americana Mia Farrow falou que “as pedras não eram pequenas. Mais ainda, Naomi, em 2007 e na casa de Mandela, recebera um diamante enorme. E ela sabia ter sido um presente de Taylor”..



Farrow destacou,ainda: “ durante a noite, segundo contou-lhe Naomi, havia sido acordada por alguns homens que batiam na porta do seu quarto. Esses homens lhe disseram que tinham sido enviados por Taylor. E eles deram a Naomi um diamante enorme”.



A atriz Farrow disse à Corte que “ a Campbell contou-lhe que queria doar o diamante à organização Nelson Mandela Children´s Fund”.



A tal doação está sendo apurada. No dia do testemunho de Naomi, a promotora Hollis juntou ao processo uma declaração de que não havia recebido diamantes. No mesmo dia, Jeremy Ratcliffe, diretor da Nelson Mandela Children Fund, declarou que recebera os diamantes. Com efeito, a veradde está na declaração escrita ou na manifestação de Jeremy, prestada depois do testemunho de Naomi.



--3. O testemunho de Farrow foi, também hoje e junto à Corte, confirmado por White, a ex-colaboradora de Naomi. White acompanhava Naomi quando dos fatos ocorridos na casa de Mandela.



Os enviados de Taylor, disse White, “deram um embrulho de papel a Naomi Campbell e avisaram que eram os diamantes prometidos no jantar por Taylor”. A testemunha White acrescentou que “Campbell, depois de abrir o embrulho e olhar as pedras, ficou “muito contrariada porque os diamantes não eram suficientemente brilhantes.



--4. PANO RÁPIDO. Naomi, na quinta feira, disse ter recebido pequenas pedras e frisou não saber que eram diamantes e nem quem enviara o presente.



Em breve, conforme estudam os seus advogados, poderá pedir para ser novamente ouvida pela Corte. Isto para se retratar e não cair no falso testemunho. Aí, Taylor, por enquanto agradado com Naomi, não vai gostar.

-- Wálter Fanganiello Maierovitch- .....................................

-1) RETROSPECTIVA-

Defesa de Taylor quer impugnar o testemunho de Mia Farrow, na segunda feira, 9 de agosto.

8/8/2010.

Naomy e o sanguinário Charles Taylor.



1. Na segunda-feira, 9 de agosto, volta a se reunir, em Haia, a Corte criminal para os genocídios de Serra Leoa, ocorridos no curso da guerra civil (1992-2002) e com 120 mil massacrados.



Só para lembrar, na semana passada a Corte colheu o testemunho da célebre modelo Naomi Campbell, presenteada, na casa de Nelson Mandela, com diamantes enviados pelo sanguinário Charles Taylor, preso desde 2006 por ordem da Corte.



Taylor, em interrogatório prestado junto à Corte internacional criminal, negou a acusação e frisou que jamais possuiu diamantes.



Na sessão pública de segunda-feira próxima, será ouvida, como testemunha da acusação, a atriz Mia Farrow, ex-convivente do magistral Woody Allen.



A meta da acusação é comprovar que Charles Taylor, ex-ditador da Libéria que estava no poder quando do fatídico jantar na casa de Mandela, traficava armas e munições para a RUF (Frente Unida Revolucionária de Serra Leoa) em troca de diamantes.



Mandela ofereceu o jantar para algumas celebridades que tinham comparecido à inauguração do Blue Train, uma versão do Orient Express, a ligar Pretória à Cidade do Cabo.



Dentre as celebridades estavam Naomi Campbell e Mia Farrow. As duas ficaram hospedadas na casa de Mandela e participaram do jantar oferecido para sete convidados.



2. O tráfico em Serra Leoa foi mostrado no filme Blood Diamond, do diretor Edward Zwick. O protagonista do filme foi Leonardo DiCaprio, no papel de Danny Archer, um mercenário à caça de diamantes. 3. Segundo o advogado de defesa, duas semanas depois de instalado o processo criminal internacional a atriz Mia Farrow informou à Corte que Naomi havia recebido diamantes de presente de Charles Taylor.



Para o advogado defensor de Taylor, o testemunho de Farrow não terá valor, pois maculado de parcialidade.



Sobre o testemunho suspeito de Farrow, o advogado conta que a iniciativa da atriz deveu-se ao fato de a top-model Naomi haver despedido a sua empresária e colaboradora Carole White. Farrow teria tomado as dores de White e feito a falsa denúncia.



PANO RÁPIDO. O advogado de Taylor sustenta que, até agora e nos autos processuais, a promotora Hollis, à frente da acusação perante a Corte especial, não conseguiu apresentar provas suficientes que liguem o “eventual presente dado por Taylor a Naomi” ao conflito de Serra Leoa.



Como Naomi não acusou diretamente Taylor, a defesa ganhou pontos. Ela declarou ter sido acordada por dois senhores. Estes, depois de baterem na porta do quarto de hóspede que ocupava na casa de Mandela, entregaram-lhe um “saquinho” com algumas (“duas ou três”) pedras.



Naomi sustentou que os senhores da entrega não revelaram o nome de quem enviava o presente.



Farrow, em entrevista, já afirmou que Naomi, durante todo o jantar, “flertou o tempo todo” com Taylor. Consoante declarou Farrow, a top-model contou-lhe ter recebido um “grande diamante” e sabia que se tratava de presente de Taylor.



Para a Corte, em resposta a uma das perguntas formuladas pela acusação, Naomi falou não ter o hábito de agradecer quando não sabe quem envia-lhe presentes.



Como se percebe, a versão de Naomi, ao omitir Taylor, favorece a defesa deste genocida.



Quando candidato à Presidência da Libéria, depois de uma sangrenta guerra civil, Taylor tinha um mote de campanha: “Promovi a destruição do país, mas o reconstruirei”.



As crianças armadas por Taylor durante a guerra civil na Libéria mostravam, sempre durante a campanha presidencial, cartazes com os dizeres: “Matou minha mãe. Matou o meu pai. Votei para ele”.

Wálter Fanganiello Maierovitch ................................................................................... -RETROSPECTIVA 2.

Naomi Campbell pega em mentira na Corte Criminal Internacional para os genocídios e massacres em Serra Leoa


06/08/2010.

Naomy e o sanguinário Charles Taylor.



1. Com exclusividade, em 12 de julho passado, o IBGF informou que a modelo Naomi Campbell seria chamada a testemunhar perante a Corte Internacional.



Essa Corte cuida dos massacres ocorridos durante a guerra civil em Serra Leoa (1992-2001) e do tráfico de armas e diamantes feito por Charles Taylor, então presidente da vizinha Libéria.



Ontem, em Haia, foi tomado o testemunho de Naomi Campbell, nascida em Londres, em maio de 1970.



Ela colocou a mão na Bíblia e fez o juramento de dizer a verdade. Depois, ficou a mexer e apertar nervosamente um “saquinho” lotado de cristais: para descarregar o nervoso, conforme contou posteriormente.



2. A modelo fora arrolada como testemunha de acusação.



De cara, causou mal estar ao chegar atrasada à audiência. Mas, pode ver, no banco dos réus, o ditador Taylor, que está preso desde 2006, com processo iniciado em 2008.



O clima não estava nada favorável à modelo. O motivo devia-se ao fato de Naomi haver sempre negado o recebimento de diamantes. Um presente do sanguinário ditador Taylor.



3. A promotora de Justiça junto à Corte Internacional, Brenda Joyce Hollis, estava preparada para desmascarar a modelo Naomi, caso viesse a negar, em juízo e sob juramento, o recebimento dos diamantes.



A promotora Hollis, responsável pela acusação, possuía relatos da atriz Mia Farrow e de Carole White, ex-empresária da top model.



Ambas, Farrow e White, participaram do jantar na casa de Nelson Mandela, onde estava Taylor. Mais ainda, contaram saber do fato por relato da própria Naomi, que estava ainda surpresa e sem saber o que fazer. Aliás, pediu conselho às duas no sentido de devolver o presente dado por Taylor, que nomeou.



Parêntese, nos próximos dias, sob juramento de dizer a verdade, a Corte ouvirá Farrow e White.



Naquela mesma noite do jantar, Naomi foi acordada com batidas na porta do seu quarto. Conforme contou para Mia Farrow e para Carole White na manhã do dia seguinte, agentes de Taylor bateram na porta e, depois de atendidos por Naomi, entregaram-lhe os diamantes, com aviso de tratar-se de um presente do ditador liberiano.



4. Orientada por advogados, Naomi confirmou, com ressalvas, o recebimento do presente, para aflição de Taylor, que afirma nunca ter possuído diamantes na sua vida.



A verdade é que Taylor, no poder na Libéria desde 1997 e após derrubar a ditadura de S. Doe instalada em 1980, interferiu na guerra civil de Serra Leoa. Ele fornecia à RUF (Fronte Unido Revolucionário de Serra Leoa) armas em troca de diamantes.



A RUF lutava para derrubar Valentine Strasser, que assumira a Presidência de Serra Leoa depois de um golpe de Estado.



Com parte dos diamantes, Taylor comprava armas e munições da Máfia e de grandes traficantes internacionais.



5. O testemunho de Naomi, conforme percebido pela atenta promotora Hollis, foi em parte mentiroso.



Naomi disse que recebeu os diamantes, mas não sabe quem os teria dado. Talvez, tenha sido Papai Noel.



Sem saber que a diligente promotora já tinha em mãos um precioso documento, Naomi soltou a segunda mentira. Declarou, embora sob compromisso de dizer a verdade, que havia doado o presente (não lembra se duas ou três pedras) para fundação Nelson Mandela Children Fund.



Na mão da promotora Hollis estava um documento fornecido pela Nelson Mandela Children Fund e assinado pela presidente. Pelo documento, a fundação nunca recebera doações em diamantes.



Naomi, assustada com o fato de ser pega em duas mentiras, passou a sustentar que os diamantes foram entregues a Jeremy Ratcliffe, diretor da Nelson Mandela Children Fund. Em outras palavras, acusa Ratcliffe de ladrão.



Só para lembrar: Ratcliffe é personagem novo. Até o início da audiência, Naomi negava haver recebido diamantes. Muito menos do sanguinário Taylor.



PANO RÁPIDO. Sobre o mau caráter da modelo, só as empresas para as quais desfila fingem desconhecer.



Naomi, certamente, não sabe que o filme de Edward Zwick, com Leonardo DiCaprio, versou sobre os diamantes de sangue que Taylor usava para comprar armas e presentear pessoas.



Ontem, Naomi desrespeitou a memória das 120 mil pessoas que foram massacradas na guerra civil fomentada por Charles Taylor.

Wálter Fanganiello Maierovitch.


...............................................................................

RETROSPECTIVA 3

12/07/2010.

NAOMI terá de depor no Tribunal Internacional Criminal para Serra Leoa. Acisação quer saber sobre os diamantes que recebeu de presente de Charles Taylor.


Naomi Campbell


De Roma, para IBGF e TERRA MAGAZINE.


1. Charles Taylor, preso por ordem do Tribunal Penal Internacional (TPI) sediado em Haia, é considerado um dos mais sanguinários ditadores da história da África Ocidental. Presidiu a Libéria de 1997 a 2003.



No processo que tramita perante a 2ª Câmara do TPI (caso Serra Leoa-Libéria), Taylor é acusado de ser o principal grande responsável por crimes de genocídio, de estupro, contra a humanidade e de guerra.



Por baixo, Taylor, durante dez anos de guerra civil na Libéria, é co-autor em 120 mil assassinatos. Ele criou, até, “milícias infantis” com o fim de matar. Ou seja, Taylor armou crianças de 4 a 13 anos de idade. E essas crianças eram drogadas com metanfetaminas para que tivessem coragem para fuzilar, diante do efeito psicoativo da substância ingerida. As “milícias infantis” de Taylor saíam a fuzilar quem encontrassem pela frente.



Os diamantes liberianos eram ofertados por Taylor em pagamento de armas e munições. Em outras palavras, Taylor, com diamantes, conseguia armas para sustentar os seus planos.



Para Naomi Campbell, em setembro de 2007, Taylor deu de presente seis preciosos diamantes.



No dia 27 de julho próximo, Naomi, a princesa das passarelas, deverá estar no TPI para testemunhar sobre o episódio dos diamantes.



Por carta ao TPI, Naomi Campbell negou, com incrível caradurismo, que tivesse ganho os diamantes. A modelo, no entanto, foi solenemente desmentida por Mia Farrow e pela empresária Carol White.



2. Em setembro de 2007, Naomi, Mia Farrow e Quincy Jones participaram de um jantar promovido na residência do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela.



O objetivo de Mandela era o de costurar um plano de paz e acabar com os massacres e conflitos na África. Por isso, Mandela convidou o sanguinário Taylor e algumas celebridades.



Depois do jantar e quando já dormia, Naomi foi acordada por fortes batidas na porta dos seus aposentos. Ao abrir a porta deu de cara com três homens de Taylor, que lhe deram os diamantes com uma informação: “O presidente Taylor oferece-lhe os diamantes de presente”.



Na manhã do dia seguinte, Naomi, com dúvidas sobre aceitar ou não os seis valiosos diamantes, contou o sucedido para Mia Farrow, Quincy Jones e a empresária Carole White.



Em 2008, ao responder ofício do TPI, a modelo Naomi negou tivesse recebido os diamantes. Nas entrevistas, voltou a negar o episódio a que chamou de a “história dos diamantes”. Só que Mia Farrow, em entrevista à rede ABC, confirmou aquilo que soube por informação da própria Naomi Campbell.



3. A “Vênus Negra” já foi intimada pelo TPI para testemunhar e contratou advogados para ser assessorada.



O TPI quer contar com mais uma prova de que Taylor, ao contrário do que afirma, tinha a posse de diamantes e os usava para compras e presentes.



PANO RÁPIDO. Só falta Naomi negar ter recebido diamantes. Se isso ocorrer, estará a ajudar o sanguinário Taylor. Espera-se, de quem já teve a insensatez e o descaramento de receber seis diamantes “ensanguentados”, um mínimo de respeito às vítimas do genocida Taylor.

Wálter Fanganiello Maierovitch


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet