São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Igreja e Pedofilia. Durou 10 horas interrogatório do cardeal belga acusado de omertà. Ratzinger, da nova encíclica ao piano.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 07 de julho de 2010.




De Roma, especial para TERRA MAGAZINE e IBGF.

--1. Enquanto o papa Ratzinger selecionava as partituras para poder tocar Mozart e Haydn nas férias em Castel Gandolfo, o cardeal Godfried Danneels, --que esteve durante trinta anos à frente da Igreja belga--, passava por grande sufoco. E o sufoco não decorria do calor escaldante deste verão europeu. É que pesa contra o cardeal Danneels a suspeita de ter encoberto casos de pedofilia, quando dirigia a Igreja belga: 1979 a 2009.



Há duas semanas, conforme informado no blog Sem Fronteiras de Terra Magazine e no site do IBGF, a magistratura inquirente e a polícia judiciária realizaram buscas e apreensões na sede da Conferência dos Bispos, na residência do primaz e até na cripta de uma catedral.. Ocorreram muitas apreensões e os advogados representaram ao ministério da Justiça contra abusos de poder laico por parte do juiz de instrução.



O interrogatório do cardeal teve início às 9,40 horas e só terminou às 18 horas. Não houve indiciamento. Na Bélgica, o cardeal Danneels não goza de boa-fama. É visto como tendo adotado o comportamento omertoso, próprio da Máfia. Ou seja, Danneels teria imposto a lei do silêncio (omertà) aos casos de crimes de pedofilia perpetrados por clérigos, em toda a Bélgica.



A magistratura e a polícia judiciária começaram a atuar depois do escândalo (1) do bispo de Burges, Roger Vangheluwe, (2) da acusação feita pelo padre Rick Deville e (3) da carta de vinte pessoas que sofreram abusos sexuais quando menores.



O bispo Roger foi promovido para cuidar de Burges apesar de manter, há anos, conhecido relacionamento amoroso e sexual com um menor, membro da sua família. Roger confessou tudo e deixou o bispado. O padre Rick, já aposentado, é quem acusa o cardeal Danneels de omertà.



Para o porta-voz da Igreja belga, Eric de Beukelaer, o cardeal Danneels, em face do interrogatório, ficou “chocado” ao saber do juízo negativo que se faz a seu respeito. É como se efetivamente soubesse dos casos de pedofilia e tivesse cruzados os braços, sem fazer nada, disse Beukalaer.



--2. PANO RÁPIDO. O papa Ratzinger preferiu passar as féria de verão em Castel Gandolfo. Não vai aos Alpes, como Wojtyla;



O castelo, pelo que pesquisei, foi construído por Urbano VIII durante o seu pontificado. Um pontificado iniciado em 1623. Depois do fim dos Estados vaticanos e da ocupação napoleônica, o referido castelo foi restaurado pelos papas Pio VII e Pio VIII.



Apesar das férias de verão, o papa Ratzinger cumpre uma agenda. E na hierarquia da Igreja não existe o cargo de vice-papa. Ratzinger, em Castel Gandolfo (próximo de Roma) terá como hóspede o irmão Georg, que, como padre, ficou famoso na regência do coral da catedral de Regensburgo, o mais antigo do planeta, de sucesso internacional e onde, para corrigir, George dava alguns safanões nas crianças cantoras.



Ratzinger, segundo anunciado, preparará, nos três meses de férias de verão, uma Encíclica e escreverá um livro sobre a infância de Jesus.



Neste verão, o pianista Ratzinger só tocará Mozart e algumas peças de Haydn. Espera-se que o mar não fique agitado, como já acontecia com Pedro e a sua barca de pesca.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet