São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Drogas. Cartéis colombianos controlam regiões na Guatemala e arregimentam soldados.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 7 de junho de 2010.



A “war on drugs” acaba de produzir uma nova surpresa: os cartéis mexicanos avançaram pela fronteira da Guatemala e controlam vasta região.



A meta dos cartéis mexicanos é a de buscar e de formar, na Guatemala, novos “soldados” para atuar na “guerra” declarada pelo presidente mexicano Felipe Calderon. Mais ainda, fazer da Guatemala um lugar seguro para armazenamento do cloridrato de cocaína procedente da Colômbia e vendida, pelos cartéis mexicanos, para os EUA.



Essa guerra foi iniciada pelo presidente Calderon e recebeu apoio financeiro e estratégico do ex-presidente W.Bush.



O Plan Mérida faliu completamente: era uma adaptação, para o México, do Plan Colômbia. E os cartéis mexicanos, há quatro anos, vencem de goleada o exército e as polícias mexicanas, como já percebem os cidadãos mexicanos. Cidadãos estes que retiraram o apoio inicialmente dado ao presidente Calderon. Motivo: nessa “war on drugs” de Calderon e W.Bush, 70% das vítimas fatais são civis, sem vínculos com o narcotráfico. E cada dia dessa guerra percebe-se o quanto os cartéis corromperam as autoridades.



Cerca de 90% do cloridrato de cocaína consumido nos EUA ingressa no país em face do tráfico operado pelos cartéis mexicanos. E as potentes armas de fogo e as munições utilizadas pelos cartéis mexicanos são adquridas dos EUA.



A Myrna Mack Foundation, -- uma organização não governamental dedicada à promoção da democracia na Guatemala--, soltou nota em que alerta para a grave situação, que poderá, pelo poder econômico e corruptor dos cartéis mexicanos, colocar em risco a democracia na Guatemala. Segundo a referida fundação, “ os cartéis mexicanos estão se reforçando na Guatemala e a polícia guatemalteca não pode fazer nada para evitar”.



Outras organizações não governamentais sediadas nos EUA já alertavam, desde meados de maio, para o fato de os cartéis mexicanos terem invadido a região de fronteira com a Guatemala e começado a recrutar e adestrar guatemaltecos residentes nessa zona, que está fora de controle das autoridades.



O Departamento de Estado norte-americano, em recente informe, advertiu: - “ Inteiras regiões da Guatemala encontram-se sob pleno controle de cartéis mexicanos e, dentre eles, o mais visível é o do grupo mexicano conhecido como Zetas”.



Fred Burton, -- vice presidente da agência internacional de inteligência Stratfor--, afirmou que “ toda a atenção está sendo focada na fronteira dos EUA com o México, mas as autoridades estão se esquecendo do que acontece em outra parte”, numa referência à fronteira entre Guatemala e México.



PANO RÁPIDO. O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, deverá, nessa fase de implementação do projeto de pacificação nos morros do Rio de Janeiro, atentar para o deslocamento de narcotraficantes para outras favelas. Quando do Plan Colômbia, as áreas de plantio migraram em face do derramamento de herbicidas pelos aviões da Dyn Corp, empresa contratada para despejar glifosato da Mansanto em conhecidas e tradicionais áreas cocaleiras da Colômbia.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet