São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Drogas. Primeiro ministro de Montenegro acusado de proteger o número 1 dos narcotraficantes europeus.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 03 de março de 2010.

premier Milo, de Montenegro.


1.Como já escrevi neste espaço em dezembro passado, a máfia balcânica (máfia sérvio-montenegrina) implantou e passou a operar um novo e até então desconhecido sistema de transporte e oferta de cocaína andina para toda a Europa. Assim, tornou-se a mais potente de todas no tráfico de cocaína e desbancou a máfia espanhola.



Ao contrário das demais, a máfia balcânica não trabalha mediante encomenda. Ela mantém depósitos abastecidos por compras feitas nos cartelitos colombianos, que atuam associados aos cartéis mexicanos.



Como se nota, o transporte da droga fica por conta e risco da máfia balcânica. A máfia espanhola realizava o transporte, mas o prejuízo, no caso de apreensão policial ou perda, era do cliente que havia encomendado.



Em resumo, a máfia balcânica assume sozinha o custo e risco do transporte da cocaína adquirida na América Latina. No caso de apreensão policial, o prejuízo fica por conta dela. E dominou o mercado europeu por não trabalhar mais sob encomenda. Não há mais divisão de riscos entre comprador e transportador. Para se ter ideia, a ‘Ndrangheta calabresa compra cocaína diretamente dos entrepostos da máfia sérvio-montenegrina, ou seja, não mais encomenda partidas de cocaína, nem partilha o risco no caso de apreensão policial ou perda do produto durante o transporte por mar e ar.



2. No dia 15 de outubro de 2009, na cidade uruguaia de Santiago Vázquez, foi realizada a apreensão de 2,5 toneladas de cocaína pura. A droga estava armazenada no iate Maui, de bandeira britânica e tripulação só de sérvios e montenegrinos. A operação internacional de polícia chamou-se “Guerriero Balcânico”.



A rota marítima principal utilizada pela máfia balcânica é a seguinte: Uruguai (ou Argentina), África do Sul e Montenegro. Diversa é a rota aérea: Colômbia, África Central, Turquia e Montenegro.



As investigações levaram ao chefão da máfia balcânica, Darko Saric. Ele é cidadão sérvio, mas nascido em Montenegro.



O mandado internacional de captura de Darko Saric foi enviado em janeiro de 2010 à Sérvia e a Montenegro, onde ele estaria escondido.



Ontem, o primeiro-ministro de Montenegro, Milo Djukanovic, foi acusado de dar proteção a Saric. E Montenegro sempre foi o paraíso de narcotraficantes ligados às máfias italianas.



O autor da acusação contra o primeiro-ministro e chefe de governo de Montenegro é Nebojsa Medojevic, político de oposição. A respeito, ele deu uma longa entrevista ao jornal Glas Srpske e disse ter provas a respeito.



Para Medojevic, o premiê de Montenegro faz parte de uma “pirâmide criminal” e teria “feito pressão” exitosa a fim de que o Ministério Público, pela procuradoria-geral, ignorasse as informações transmitidas pelas polícias e agências internacionais antidrogas, durante anos, sobre Darko Saric.



3. PANO RÁPIDO. Com mil narcossoldados treinados, a máfia balcânica é composta de 45 células. Ela vende cocaína a 35 mil euros o quilo, sem espera e tirada dos seus estoques. A concorrência espanhola, com risco de divisão de prejuízos, oferece a cocaína por 40 mil euros, pagos antecipadamente e com prazo de entrega.

Wálter Fanganiello Maierovitch


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet