São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Terror. Al Qaeda do Maghreb fatura na proteção a transporte de cocaína na África.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF,01 de março de 2010.

O coração do Maghreb.

--1. Para Osama bin Laden, todo o norte da África, “o Maghreb” islâmico” como se refere à região, deve ser retomado.



A Al Qaeda Central, a fim de atingir essa meta, conta no norte da África com um braço terrorista conhecido por Al Qaeda do Magheb.



Na verdade, vários grupos de terroristas fundamentalistas da Argélia, Mauritânia, Mali e Marrocos, deliberaram se unir e conseguiram autorização de Bin Laden e Al-Zawahiri para usar a marca Al Qaeda, com o acréscimo do termo Maghreb.



Essa iniciativa dos terroristas africanos calçou como luva aos planos alqaedistas. E como todos sabem, a Al Qaeda Central virou uma “franchising” do terror e mantêm-se viva graças ao cyberterrorismo onde espalha a regra do “faça você mesmo a sua parte”, ou seja, promova escoteiramente ações terroristas sem precisar do nosso aval da Al Qaeda Central.



Não se deve esquecer que o sonho de Bin Laden é o de restabelecer um califado (khilafa). Lógico, e de expandir os seus domínios pelos territórios dos povos infiéis, que são todos aqueles que não professam o islamismo fundamentalista sunita. Nesse seu plano, por evidente, está a reintegração do Maghreb, que corresponde ao norte da África. E dispensável afirmar que o califa seria Osama Bin Laden.



Como a Al Qaeda Central está no vermelho, falida há muito tempo, o braço do Maghreb deve buscar os próprios recursos financeiros para a “jihad” africana.



Assim, a cúpula da Al Qaeda do Maghreb, -- que só não tem autonomia para tratar de questões religiosas--, deliberou “comboiar” os carregamentos de cocaína que chegam por mar à Mauritânia: é uma das principais rotas de passagem da cocaína destinada à Europa(Mauritânia, Marrocos, Argélia, Tunísia) e Ásia (via Egito).



--2. Neste final de semana, depois de um confronto de fogo entre a polícia da Mauritânia (orientada pela agência norte-americana DEA- Drug Enforcement Administration) e membros da Al Qaeda do Maghreb que davam proteção a um carregamento de drogas e a narcotraficantes, foram presos 20 terroristas.



A Al Qaeda do Maghreb dava cobertura a oito caminhões, que transportavam 5 toneladas de cocaína, armas leves e vários botijões de gasolina. Três traficantes morreram no embate.



Segundo as autoridades do governo da Mauritânia, as apreensões e o confronto ocorreram próximo à fronteira com o Mali.



Os alquedistas foram transferidos para Nuackchott (capital da Maurtânia) em helicópteros. Os 20 terroristas estão presos e já teriam admitido que a proteção aos carregamentos de drogas é a principal fonte de renda da Al Qaeda do Maghreb.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet