São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Droga. Dirigente de banco desviava dinheiro de contas para pagar fornecedores de cocaína e álcool.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 27 de janeiro de 2009.






Como pagar os traficantes de drogas proibidas?



Esse é um velho problema. Atinge a maioria dos dependentes químicos e psicológicos de cocaína que não querem se tratar.



Richard Crawford, 41 anos, diretor do setor de luta às fraudes bancárias do banco britânico HSBC, desviou, em oito meses, 170 mil libras esterlinas (cerca de R$ 650.000) de contas correntes para pagar os seus fornecedores de cocaína e bebidas alcoólicas.



O dinheiro subtraído era transferido, on-line, para os que lhe vendiam a crédito cocaína e bebidas alcoólicas. Crawford tinha acesso a dados bancários sensíveis, diante de sua função como chefe do setor de luta contra fraudes. Para não ser descoberto, analisava as contas cujos correntistas não dispensavam atenção permanente.



Crawford ganhava mensalmente no banco 65 mil libras (mais de R$ 24.000).



O divórcio da esposa foi usado por ele para justificar sua mudança de comportamento e o ingresso abusivo no mundo da cocaína e do álcool.



Antes de se tornar dependente de drogas, o ex-dirigente bancário era considerado funcionário exemplar. Trabalhava há mais de 20 anos no HSBC e chegou, por mérito, à chefia de um setor importante da atividade do banco: luta contra as fraudes bancárias. Por evidente, usou desse conhecimento para trapacear.



Crawford acaba de ser condenado pela Justiça britânica à pena de 3 anos e 8 meses de prisão. Tal condenação serve para mostrar os erros das políticas criminalizantes do Reino Unido. Em outras palavras, um dependente químico, em vez de ser tratado, vai para cadeia por prática de crime conexo (subtração de valores para pagar fornecedores).

Wálter Fanganiello Maierovitch


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet