São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Travesti brasileiro que derrubou governador italiano foi miss no Rio de Janeiro.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Jornal O GLOBO.

IBGF, 4 de novembro de 2009.

A carioca Natalia, registrada como José Alessandro Vidal Silva.




Natalia, -a travesti carioca filmada na cama e em atividade sexual com o então governador da região Lazio-Roma-, estará, amanhã, em todas as bancas européias.


Ou melhor, Natalia será capa da revista italiana Novella, que é campeã de vendagens. E capa em duas edições.


A transcanarinho emplacará duas edições. Isto porque, -como pesquisou a revista-, tem muita gente curiosa por conhecer, -além de detalhes de um escândalo onde o governador mudou três vezes de versão-, a sua vida e seus amores.


Depois do escândalo que provocou a renúncia do governador Piero Marrazzo, esta será a primeira e exclusiva entrevista de Natalia, registrada, em cartório civil carioca, como Alessandro Vidal Silva.


Na entrevista, Natalia fala do seu sucesso nas passarelas.
Ela conquistou o título de Miss Transex Internacional, em 2004, na cidade de Florença. Como diz, virou rainha dos gays espalhados pelos mundo.


Em 2006, esteve no Rio de Janeiro para participar do concurso Scala Gay. Emplacou o primeiro lugar e guarda o cetro no seu apartamento romano, na via Gardoli: no mesmo prédio, os terroristas das Brigadas Vermelhos, nos anos 70, mantiveram em cativeiro, e depois mataram, Aldo Moro, ex-primeiro ministro e presidente do partido da Democracia Cristã.


Os pais de Natalia moram no Rio. Ela é de família de classe média e sempre os visita no Rio. Na entrevista à revista Novella, a travesti Natalia conta do bom relacionamento com a família, de um namorado carioca de prenome Marcelo e de um terminado casamento de oito meses.


No casamento, pelo que vazou da entrevista, Natalia assumiu o papel de marido. No particular e com relação ao ex-governador Marrazzo, não revelou detalhes, fantasias e preferências nos encontros íntimos.


Natalia, -já rainha dos trans do planeta-, conheceu o ex-governador Piero Marrazzo em 2001, quando ele trabalhava como jornalista na RAI 3, que é estatal italiana de rádio e televisão.


PANO RÁPIDO. Na entrevista à revista Novella, -segundo apurado por este blog Sem Fronteiras de Terra Magazine-, não foi feita nenhuma pergunta sobre os planos de Natalia a respeito dos jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.


A nossa assessora, - a caneta falante Concetta Rompi-coglione-, foi informada que Natalia exigiu a publicação de uma foto vestida e maquiada como Marilyn Monroe. E foi atendida.


Não se sabe, -agora que ela virou celebridade-, quanto recebeu da revista pela exclusividade.


E não sabe, também, o quanto realmente cobra por um programa amoroso, de 4 horas: “Mi sono fermata com Piero (Marrazzo) al massimo quattro ore”.


Natalia afirmou que Marrazzo, -ao qual só chama de Piero a conheceu em 2001-, pagava 5 mil euros ( R$15.000,00) por programa íntimo. Ele, em depoimento ao ministério Público, declarou que pagava pela prestação sexual 1 mil euros (R$3.000,00). Ou seja, 1 mil euros por quatro horas.

–Wálter Fanganiello Maierovitch–


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet