São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Drogas e Travestis. Aumenta para cinco o número de trans brasileiros que se relacionaram com o governador Marrazzo, da Lazio.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 27 de outubro de 2009.


Brenda, a brasileira que teria filmado a transa.




1) O governador da região-estado Lazio, cuja capital é Roma, foi surpreendido quando mantinha relações sexuais com a transsexual brasileira alcunhada Natalia. E no quarto do apartamento de Natalia havia grande quantidade de cocaína.



A relação sexual mantida entre o governador e a travesti brasileira Natalia foi filmada clandestinamente.



Até o momento, atribui-se à trans Brenda, também brasileira, a autoria da gravação, realizada com um aparelho celular.



Brenda nega a acusação, mas é apontada como a responsável por Natalia e por Thaynna, esta natural da Bahia. As demais, a naturalidade ainda é desconhecida.



O computador e o celular de Thaynna , ambos com fotos de celebridades e autoridades, restaram apreendidos por policiais do ROS (Raggruppamento Operativo Speciale).



Durante a relação amorosa, o quarto do apartamento de Natalia, na célebre via Gradoli, foi invadido por quatro policiais militares (arma dos carabinieri) e teve inicio um longo período de extorsões, do final de julho até este mês de outubro.



Num primeiro momento e ainda no quarto de Natalia, o governador Piero Marrazo entregou três cheques aos policiais, no valor total de 20 mil euros (cerca de R$60.000,00).



Por programa, Natalia recebia do governador de 1.500 euros (R$4.500,00) e não se sabe, até agora, se estava incluído o preço da cocaína e eventual uso.



Thaynna, a baiana do elenco de predileção do governador.





2) Com relação aos fatos, os policiais do ROS apuravam tráfico de cocaína realizado pela facção Casalese (de Casal di Príncipe) da Camorra napolitana (região Campania). Ou seja, nada suspeitavam com relação a crime de extorsão a vitimar o governador de outra região-estado, ou seja, a região do Lazio.



Interceptações ambientais e telefônicas revelaram um fato novo. Em Roma, um grupo de policiais militares (carabinieri), por um interposto fotógrafo (paparazzi), negociava a venda de um vídeo a envolver o governador Marrazzo com transsexuais.


O vídeo foi oferecido à revista italiana ‘Chi’ (Quem) e estava sendo, também, negociado por uma agência de propaganda.



Referida agência ofereceu o vídeo à editora Mondadori, de propriedade do premier Silvio Berlusconi e administrada pela sua filha. Informado sobre o vídeo, Berlusconi avisou Marrazzo, que é filiado ao partido de oposição.

Logicamente, Berlusconi não perdeu a oportunidade de afirmar que não faria o que a oposição fez com ele, numa referência às suas aventuras com prostitutas.



O certo, no entanto, é que Berlusconi temeu que a divulgação do vídeo fosse atribuída a ele: o jornal do irmão do premier (atua como testa de ferro) publicou um grande escândalo, a envolver relação homossexual do diretor da revista Avvenire, que é uma publicação dos bispos da Igreja romana.



Marrazzo, cumpriu promessa de campanha: Un altro modo.



3) O governador Marrazzo deve renunciar hoje ao cargo.



Ontem, ele se autodeclarou suspenso do encargo e o vice-governador assumiu.



Diante da forte pressão, a renúncia de Marrazzo é quase certa e as eleições serão antecipadas.



No momento, Marrazzo está em recolhimento espiritual numa abadia. A esposa, que é jornalista da RAI, já anunciou a separação.


Marrazzo: em retiro espiritual numa Abadia4) A trans brasileira Luana, ouvida ontem no inquérito conduzido pelo ROS, afirmou que Marrazzo era muito conhecido entre os travecos. Quando ele passava, destacou Luana, todos colocavam os seios para fora “a fim de que ele escolhesse um para fazer programa”. E “ele pagava bem”, daí a agitação quando passava.



Brenda, traída pelo relato policial do noivo.



5) Outra brasileira, a travesti Brenda, disse não conhecer Marrazzo.

Só que o namorado de Brenda, em depoimento policial, ressaltou que Marrazzo contratava Brenda e “pagava muito bem porque ela não roubava nada do cliente”, ao contrário das outras.



Para Natalia, que afirmou ser “fidanzata” (namorada-noiva) de Marrazzo e com ele se relacionar durante anos, a travesti Brenda é perigosa e trafica drogas:

- "Dizia sempre a ele: Piero (Marrazzo), fique atento com quem sai. Deixe a Brendona (Brenda), aquela drogada acaba por te colocar numa encrenca”.

6) Sobre drogas e tráfico por trans, a baiana Thaynna, uma espécie de líder entre os transssexuais que fazem trottoir no bairro Due Ponti (Roma-Norte), acusa Brenda e diz, também, já haver feito “programa amoroso” com o governador Marrazzo, muito conhecido “no pedaço”.

Brenda, traída por declaração do namorado.7) Da lista de trans brasileiras dada como clientes do governador Marrazzo consta uma tal Paloma e a recém falecida Tabata.



PANO RÁPIDO. Como se percebe, não só jogadores de futebol brasileiros fazem sucesso na Itália. E de travestis brasileiros freqüentados pelo governador Marrazzo dá para formar um time de futebol de salão, com reservas no banco.

--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet