São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Pulseira Eletrônica em ex-companheiro violento ou barraqueiros. Problemas de falha em Madrid.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 25 de outubro de 2009.





Enquanto o Brasil atrasa no âmbito da Justiça criminal em implantar um sistema eletrônico para controle de presos em regime aberto, semi-aberto ou domiciliar, a Espanha deu um passo avançado no campo de litigiosos divórcios e de separações matrimoniais e de conviventes.



Desde o final do verão europeu, estavam sendo empregadas em Madrid (Espanha) 186 pulseiras eletrônicas. Elas têm formato de relógio. Ou seja, quem é obrigado a usar “não dá bandeira”, como informa a minha caneta-falante e assessora Isadora Dolores, apelidada ‘La Pasionaria’: ela não guarda parentesco com a falecida comunista Isidora Dolores Ibárruri Gómez, de dentadas históricas e também conhecida como La Pasionaria.



O alarme dessas pulseiras dispara quando da aproximação do presumido molestador: ex-cônjuge ou a ex-companheiro convivente, dado pelo juiz como violento ou inconformado com a separação a ponto de causar “barracos”.



A distância para soar o alarme é de 500 metros do outro (a).



Para os técnicos espanhóis em telemática e em conflitos, a distância de 500 metros é suficiente para o potencial molestado esconder-se e chamar a polícia. E lá se pode contar com a chegada rápida da polícia.



Dois sinais sonoros são emitidos simultaneamente. Assim, eles colocam em alerta a central de fiscalização judiciária e a vítima.



O sistema funciona como um “GPS”.



Tal sistema foi desenvolvido com base num sofisticado sistema israelense de guerra. O sistema é protegido da interferência de sinais capazes de bloquear o disparo do alarme.



A concorrência pública para colocação do equipamento à disposição das autoridades acabou ganha pela empresa privada “Ero & Staff”.



Desde a manhã deste sábado, as assessoras deste blog Sem Fronteiras de Terra Magazine começaram a verificar se a empresa privada “Ero & Staff” forneceu equipamentos de bloqueadores de celulares para presídios paulistas e cariocas.



Assim como não funcionam os bloqueadores nos nossos presídios, o equipamento da “Ero & Staff” começou a falhar em Madrid.



Dispensável relatar, pelas falhas apresentadas pelo equipamento da Ero & Staff, algumas situações resultantes em olhos roxos e canelas rompidas.



Depois de pouco mais de um mês da implantação, a experiência acaba de ser suspensa em Madrid, por determinação da autoridade de vigilância.



Essa decisão administrativa carece de confirmação judiciária. Caso confirmada, haverá rescisão do contrato de proteção telemática de vítimas em potencial. E um novo sistema será testado.



PANO RÁPIDO. Fico a dever a informação sobre o sexo mais molestado em face de escândalos públicos.



A respeito de agressões físicas, o papelão e a covardia ficam por conta dos espanhóis. E são os mesmos s homens que promoviam a violência física no curso da união.

–Wálter Fanganiello Maierovitch–


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet