São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Zapatero quase soltou o por què non te callas a Berlusconi.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF,14 de setembro de 2009.
.Berlusconi.

As mulheres espanholas e todos os democratas espanhois não gostaram do silêncio do primeiro ministro espanhol Zapatero e das ministras Elena Salgado (economia) e Carmem Chacon (defesa interna), quando da fala do premier italiano Silvio Berlusconi.


No encerramento de “summit” Itália-Espanha, na Sardenha (La Madalenna), Berlusconi resolveu falar sobre mulheres (donne), antes de entrar em considerações acerca dos objetivos e dos temas do encontro bilateral.


Como sempre, o premier com pretensões a superar a Casanova, pisou feio na bola ao diminuir as mulheres. Disse, Berlusconi: - “ As mulheres são o melhor presente que Deus deu aos homens”.


Apertado pela imprensa européia, o premier Zapatero justificou o silêncio, apesar da cara de poucos amigos: -“ Todos sabem da minha posição sobre a igualdade entre homens e mulheres”. Apenas silenciei por respeito às instituições”.


Zapatero já havia passado por tensão anterior. Ou seja, o café da manhã foi oficialmente marcado para a Villa Certosa, que é a cinematográfica residência de praia de Berlusconi, em Porto Rottondo (Sardenha).


Sobre festas e bacanais na Villa Certosa, o jornal espanhol El Pais publicou surpreendentes fotos. Por exemplo, o ex-premier da República Checa, nas piscina. Com mulheres nuas ao lado, o premier foi fotografado de pênis ereto e não se tratava de crise circulatória de priapismo.


A ministra Elena Salgado também tinha uma explicação, por não ter soltado a Berlusconi a frase dita pelo rei Juan Carlos ao presidente venezuelano Chavez ( por qué non te callas ?): - “O nosso silêncio, naquele momento, deve ser interpretado apenas como dever de cortesia em face dos nossos anfitriões”.


Carmen Quintanilla, que preside o “Comitê Parlamentar para a Igualdade”, e ela é do partido que faz oposição a Zapatero, afirmou, da tribuna, haver entendido o silêncio: - “Apesar de nos sentir feridas pelo comentário de Berlusconi, tinha de ser defendido, em primeiro lugar, o interesse da Espanha”.


Ontem, o Conselho Superior da Magistratura italiana, que é presidido por Giorgio Napolitano, chefe de estado italiano, desagravou os magistrados ofendidos por Berlusconi e que atuam no processo criminal conhecido por caso Mills, onde Berlusconi é co-réu.


David Mills, advogado contratado por Berlusconi para corromper, foi condenado à pena de 4 anos e 6 meses de prisão. O co-réu Berlusconi conseguiu uma lei “ad personam”. Ou seja, de paralisação do processo criminal quando envolvidos altas autoridades da República Italiana. A constitucionalidade dessa lei está sendo apreciada pela Corte Constitucional da Itália.


Com a condenação de Mills, que já recorreu, Berusconi sentiu-se, como co-autor e mandante do crime, a um passo da cadeia. Daí, a lei “ad personam”.


Pano Rápido. O premier Casanova, em duas semanas, meteu-se em três rumorosas confusões: (1) brigou com os bispos e cardeais da Comissão Episcopal Italiana, espécie de CNBB; (2) foi desafiado pela “garota de programa” Patrizia D´Addario (com a qual fez michê na residência oficial) para um debate público; (3) saiu a atirar depois de divulgado que, por pessoa amiga (empresário Tarantini), foram colocadas à sua disposição 30 prostitutas. As arregimentadas por Tarantini recebiam hum mil euros por ato sexual.


Sobre todas as aventuras e todas as confusões do Premier-Casanova, confira as publicações deste blog Sem Fronteiras, de Terra Magazine.

–Wálter Fanganiello Maierovitch–


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet