São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Direito Laico x Direito Canônico. O padre rico e a herdeira filha

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 21 de agosto de 2009.

padre Degollado.

A fortuna do padre mexicano Marcial Maciel Degollado — falecido em 30 de janeiro de 2008 aos 87 anos de idade — está avaliada em cerca de US$ 20 bilhões.


Supracitado padre, em 2006 e por ato do papa Bento XVI, retirou-se em orações. Trocado em míudos, recolheu-se em “silêncio obsequioso”.


Para o papa Ratzinger, pelo que se infere, os pecados em vida do prelado Degollado recomendavam um recolhimento em penitenciário (local para penitência), para expiação dos pecados.


Ao sair de cena, o padre Degollado estava adoentado e com 86 anos de idade.


Parêntese: segundo a doutrina católica da Metanóia, pela compunção, feita em penitenciários, pode-se conseguir “a mudança do coração e da alma”. Num penitenciário, consoante verbete de Enciclopédia Católica pesquisada por este blog Sem Fronteiras, de Terra Magazine, haverá sempre o “desconforto” (simplicidade) necessário para se chegar à compunção, ao arrependimento.


Em 1987, o padre Degollado teve uma filha do relacionamento mantido com Norma Hilda Baños, esta nascida em Acapulco (México) e hoje com 48 anos de idade. Segundo Norma Hilda, o relacionamento com o padre começou quando ela era menor de idade.


O padre Degollado nunca deixou faltar nada para a filha, Norma, e para a mãe da menina, Norma Hilda.


Depois do nascimento dea filhaNorma, destinou a ambas, mãe e filha, uma invejável renda imobiliária, suficiente para pagar bons colégios, universidade etc. As duas Normas (mãe e filha) foram viver na Espanha, onde mantêm para morar (residência) dois luxuosos apartamentos, em Madri e Sevilha.


Pelas leis do Estado do Vaticano, uma filha de prelado tem direito a receber pensão alimentícia até a maioridade. Seguramente, Norma, que já é maior de idade, preferirá as leis laicas, que lhe assegurarão, comprovada a paternidade, toda a herança do padre Degollado.


Padre Marcial Maciel Degollado teve destacado papel na Igreja. Em 1941, ele fundou a congregação religiosa chamada Legião de Cristo. Essa congregação, pela lei canônica, é de “direito pontifício”. A missão da Legião é “levar o Reino de Cristo para a sociedade”.


Para se ter idéia, a ordem Legião de Cristo, que é ultraconservadora, encontra-se estabelecida em 22 países. Conta com 800 sacerdotes e 2.500 seminaristas. Na congregação, estão inscritas 65 mil pessoas, que formam o corpo laico.


A “vida secreta” do prelado está sob investigação vaticana desde 31 de março de 2009.


O bispo de Bilbao, Ricardo Blázquez, foi designado para fazer investigação na Espanha e isso implica contato com a filha Norma e a mãe Norma Hilda . Segundo vazamento publicado no jornal El Mundo, o encontro está agendado para este mês de outubro.


Até lá, o bispo Blázquez estará em diligências sobre o caso Degollado por oito países europeus. Talvez em levantamento sobre outras proles.


Norma Hilda, que se relacionou com o prelado e teve com ele uma filha, é orientada pelo advogado mexicano José Bonilla. Para o jornal El Mundo, o advogado Bonilla disse que ele e Norma Hilda estiveram com o então papa João Paulo II para falar sobre o caso.


PANO RÁPIDO. Poderá haver uma batalha judicial, entre Norma e a Igreja, pelo patrimônio deixado pelo padre Degollado. Os bens seriam da herdeira ou da congregação religiosa de direito canônico? Esta é a questão jurídica.


Por enquanto, o papa Bento XVI aguarda o fim da investigação eclesiástica.


O advogado Bonilla, conforme o “andar da carruagem”, poderá postular, perante a Justiça laica, uma ação de investigação de paternidade. Caso isso ocorra, haverá necessidade de buscar o “DNA” do prelado, para cotejo com o da filha, Norma.


Até agora, tudo se desenvolve sem “barracos”.

–Wálter Fanganiello Maierovitch– Faça seu comentário (33)


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet