São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Drogas. Cartéis mexicanos presentes em 41 países, 200 cidades norte-americanas e com 21 bilhões de euros de lucro anual.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 10 de junho de 2009.



Os cartéis mexicanos continuam a surpreender, a cada dado levantado pelas autoridades nacionais e internacionais.



Hoje, com revenda de cocaína procedente da Colômbia, os cartéis mexicanos têm lucro líquido anual estimado em 21 bilhões de euros.



Eles estão presentes em 41 países e a remessa de cocaína só é feita mediante pagamento antecipado, em papel moeda. A entrega não falha, graças a capilaridade das redes de distribuição tecidas.



Os cartéis mexicanos estabeleceram sólidos vínculos com as máfias russas, a ´ndrangheta calabresa e com mafiosos da Sérvia e Monte Negro. A aliança permite não apenas a revenda da cocaína mas a reciclagem do capital sujo em atividades comerciais.



A Guerra às Drogas (War on Drugs) decretada, no primeiro dia do mandato, pelo presidente mexicano Felipe Calderon não está a afetar a network internacional operada pelos cartéis mexicanos, em especial os de Tijuana, Golfo, Sinaloa e Juarez.



Os cartéis, segundo últimos cálculos, contam com 500 mil “soldados” que se dedicam à indústria da droga e a difundir a violência. Só em 2008, na War on Drugs de Calderon, foram mortos 3 mil mexicanos. A maior baixa foi entre civis inocentes.



Para se ter idéia da potência dos cartéis, –consoante “post” divulgado na semana passada por este blog Sem Fronteiras de Terra Magazine–, a frota de submergíveis é composta por 50 unidades.



Só nos EUA os cartéis mexicanos mantém representantes e operações em 200 cidades.



No domingo passado, na litorânea Acapulco, o enfrentamento entre agentes de ordem e narcos resultou na morte de 18 pessoas.



PANO RÁPIDO. Os cartéis mexicanos estão interessados em manter conflitos no Canadá, Guatemala, Panamá e Argentina. Eles financiam “gangs” e a meta é colocar as polícias em combate com elas enquanto os cabeças continuam a operar as redes de distribuição e de reciclagem de capitais sujos em atividades formalmente lícitas.



–Wálter Fanganiello Maierovitch–


. ………………………….. ……………………………


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet