São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

DROGAS: Czar antidrogas de Obama pede o fim da Guerra às Drogas.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch- Terra Magazine.

IBGF, 15 de maio de 2009.
O ex-presidente Bush tinha urticárias quando ouvia falar em drogas proibidas ou no fim da “war on drugs”.

John Walthers, o czar antidrogas da Casa Branca da era Bush, fazia pressão para aumentar a pena de prisão para os usuários e comandava campanha para adoção, fora dos EUA, de tribunais de drogas para consumidores de drogas proibidas.

Seus emissários estiveram no Brasil e magistrados brasileiros e representantes do Ministério Público viajaram para os EUA, a convite, para serem doutrinados sobre as maravilhas desses tribunais. A propósito, cortes camufladas com o nome de tribunais para dependentes químicos, onde qualquer usuário é considerado dependente químico nos EUA.

O fracasso marcou a reacionária política antidrogas do governo Bush, interna e externamente.

Esse fracasso da política norte-americana vem de longe. Aliás, uma política, na verdade, com foco predominante na repressão policial e judicial ao usuário, a partir do truísmo de que sem consumo sumiria a oferta.

Quando do fim da aventura da Guerra no Vietnã, o então presidente Nixon, de triste memória como Bush, precisava dar uma resposta à sociedade americana. Isto porque um porcentual altíssimo dos soldados que voltaram da referida guerra tinham se tornado dependentes químicos do ópio e da heroína. Nixon, então, desfraldou a bandeira da “war on drugs”, nos EUA.

Essa mesma bandeira foi alargada na presidência de Regan. Ele declarou guerra às drogas em todo o planeta, ou seja, combate sem fronteiras. No fundo, um pretexto para combater o comunismo: a pretexto de combater as drogas instalava bases-militares (Curaçao e Aruba, por exemplo) e colocava os seus 007 (Dea e Cia) em países estratégicos.

O falido Plan Colômbia teve início com o presidente Clinton e o enterro ocorreu com Bush. No México, o Plan Mérida de Bush teve fracasso igual ao similar Plan Colômbia.

Ontem, Gil Kerlikowske, o novo czar nomeado pelo presidente Obama e que nesta semana teve o nome aprovado pelo Congresso, propôs o fim da “war on drugs”. Ele desabafou:
- “ Independentemente da maneira como se procura explicar para as pessoas que se cuida de uma guerra às drogas, ou de tratar-se de uma “guerra a uma substância”, os cidadãos percebem ser ela uma guerra contra as pessoas. E não devemos entrar em guerra com o povo deste país”.

Pano Rápido. O desabafo de Gil Kerlikowske está publicado no Wall Street Journal :
http://online.wsj.com/article/SB124225891527617397.html

--Wálter Fanganiello Maierovitch---


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet