São Paulo,  
Busca:   

 

 

Agora

 

Pedofilia: novo escândalo a abalar o trono de São Pedro.

Por Wálter Fanganiello Maierovitch

IBGF, 22 de janeiro de 2009.

papa Ratzinger.

Crianças surdo-mudas e pobres eram vítimas de padres. Freqüentavam um instituto de ensino fundado pela Igreja católica que tinha a elevada missão de “garantir um futuro melhor às crianças surdo-mudas e sustentá-las nos estudos e na inserção ao mundo do trabalho”.


As denúncias, feitas por vítimas que foram sodomizadas ou submetidas a outras formas de abusos sexuais, irão voltar a balançar as estruturas do trono de São Pedro, ora ocupado pelo papa Bento XVI.


O novo escândalo é particular, pois os 60 denunciantes surdos-mudos conseguiram, já na idade adulta, contar os seus sofrimentos e as humilhações. E o móvel decorreu do fato de muitos dos sacerdotes ainda estarem no mesmo instituto de ensino, agora mais velhos.


A conceituada revista L´Espresso que chegará às bancas italianas na próxima sexta-feira conta, em matéria de capa, o acontecido, desde 1984, no Instituto Antonio Provolo da cidade de Verona: aquela da casa de Romeo e Julieta.


A longa matéria é assinada pelo respeitado jornalista Paolo Tessadri. O Instituto Antonio Provolo, frisa o jornalista Tessadri, recebeu reconhecimento internacional e reunia crianças surdo-mudas de famílias de lavradores pobres das regiões norte e leste da Itália.


Os abusos perpetrados por padres pedófilos ocorreram a partir de 1984 e, frise-se, muitos religiosos ainda estão atividade pedagógica no Instituto Provolo.


Segundo a revista, os denunciantes, -- o mais novo está com 40 anos de idade--, conseguiram superar o bloqueio traumático depois de passados anos: - “ Padres abusaram sexualmente de nós. Conseguimos superar o nosso medo e a nossa reticência”.


Depois do escândalo ocorrido nos EUA e de um período de silêncio reflexivo, o papa Ratzinger endureceu com os padres pedófilos e alertou que nenhum novo escândalo seria acobertado pela Cúria vaticana.


A fala dura de Ratzinger, agora diante do novo e revoltante escândalo levantado pela revista L´Espresso e prestes a chegar às bancas, mostra, mais uma vez, o acerto da ontológica frase colocada por Tomasi di Lampedusa na boca de um dos personagens da consagrada obra Il Gattopardo, ou seja, tudo precisa ser mudado, alterado, se desejamos que tudo continue como está.


Numa das cartas, datada de dezembro de 2008, recebidas pelo vigário judicial do Tribunal Eclesiástico da diocese de Verona, obtida pela revista L´Espresso, consta: - “ No quarto destinada a religiosos da igreja de Santa Mari del Pianto do Instituto Provolo, alguns padres aproveitavam para se masturbar apalpando as crianças sudo-mudas e a porta, nesses momentos, era sempre fechada com chave”.


PANO RÁPIDO. A essa altura, até o barroco “baldacchino” da basílica de São Pedro, obra de Bernini, já deve saber o motivo que leva a balançar do trono que lhe está próximo. No mundo laico, os crimes já estão prescritos. Para o código Canônico e normas morais da Igreja, não prescrevem os pecados, salvo pelo perdão da confissão.Mas, disso não entendo nada.
--Wálter Fanganiello Maierovitch--


Assuntos Relacionados
© 2004 IBGF - Todos os direitos reservados - Produzido por Ghost Planet